Paladar

Comida

Comida

Cozinha e letras na mesa da Flip

Como seria reunir, numa cidade histórica, Michael Pollan, Monteiro Lobato e Pedro II? Entre programação oficial e evento paralelo, os três aparecerão em Paraty, ao lado de escritores e cozinheiros, enquanto se fala de livro e comida

30 julho 2014 | 19:38 por heloisalupinacci

Nesta sexta-feira, 31, a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) terá aquele que deve ser um dos momentos gastronômicos mais importantes de sua história: Michael Pollan, um dos principais autores de livros sobre comida, participa de uma conversa conduzida pela jornalista Lúcia Guimarães – o formato um autor e um mediador é sempre reservado a grandes nomes.

FOTO: Eddie Keogh/Reuters

ENTREVISTA EXCLUSIVA

+ Michael Pollan e a consciência por trás do garfo

Ficou com água na boca?

LITERATURA E GASTRONOMIA

+ Saiba mais sobre o evento Cozinha com Palavras e veja sua programação completa

Não é a primeira vez que uma mesa da Flip fala sobre a boa mesa – em 2005, veio o chef celebridade e escritor Anthony Bourdain. De lá para cá, o mundo gastronômico mudou bastante. Naquele ano,  o melhor restaurante do mundo na lista da Restaurant era o Fat Duck, do chef Heston Blumenthal, em que, por exemplo, um prato vinha à mesa com um iPod como acompanhamento. Anthony Bourdain falava em seus livros sobre a louca vida dos bastidores da cozinha. Hoje, o melhor do mundo é o Noma, de René Redzepi, marcado pela intensa pesquisa de ingredientes locais e pouca intervenção. Em seus livros, Pollan fala sobre a importância de saber a origem do alimento.

Paulo Werneck, diretor de programação da Flip, é leitor de Pollan e cozinheiro dedicado.  “Tenho orgulho em encontrar espaço para fazer a minha própria comida de todos os dias. Mesmo nos momentos de mais trabalho, sempre encontro tempo para cozinhar, é algo relaxante para quem trabalha com a cabeça. Gosto de ver os caldos reduzindo, de preparar coisas que cozinham lentamente, é uma terapia para ansiedade. Eu e meus amigos também cozinhamos uns para os outros. E bem antes de ouvir falar no Pollan. Quando ouvi falar nele, por dica de um amigo, tive a ótima sensação de estar fazendo a coisa certa. E descobri um ótimo escritor”, disse ao Paladar, direto de Paraty.

Além da mesa com Pollan na tenda principal, neste ano, pela primeira vez, o evento Cozinhando com Palavras terá uma edição na programação paralela, com escritores e chefs se reunindo para falar sobre os encontros entre gastronomia e literatura.

>> Veja a íntegra da edição do Paladar de 31/7/2014

Ficou com água na boca?