Paladar

Comida

Comida

Etapa nacional do Bocuse D’Or será em São Paulo em 2017

Competição de gastronomia criada há três décadas na França tem etapas regionais e a final é em Lyon, a cada dois anos

28 dezembro 2016 | 16:07 por Ana Paula Boni

Após duas edições seguidas no Rio, a feira de negócios Sirha já tem data e local para acontecer em 2017: de 7 a 9 de novembro, na São Paulo Expo, centro de convenções que fica na rodovia dos Imigrantes, perto do zoológico.

Cozinheiros da cidade podem comemorar, já que a feira é a responsável pela realização em todo o mundo da maior competição de profissionais do ramo, o Bocuse D’Or, considerado a Copa da gastronomia.

A brasileira Giovanna Grossi durante a etapa do México, em fevereiro deste ano.

A brasileira Giovanna Grossi durante a etapa do México, em fevereiro deste ano. Foto: Divulgação

Criado em 1987 pelo lendário chef Paul Bocuse e realizado a cada dois anos, o concurso possui etapas nacionais, regionais (como a latino-americana) e a celebrada final mundial, que acontece sempre em Lyon. A próxima edição, a ser realizada de 24 a 25 de janeiro (o Sirha Lyon vai de 21 a 25), vai comemorar os 30 anos do evento e terá a alagoana Giovanna Grossi, de 25 anos, como a candidata brasileira na disputa ao título.

Ficou com água na boca?

Desde que foi a primeira mulher a ganhar uma etapa nacional, em outubro de 2015, no Rio, Giovanna vem chamando a atenção dos jurados com a qualidade do seu trabalho, desde os sabores e combinações nos pratos à concentração e dedicação no box de preparo. Foi assim que ela conquistou a primeira colocação na etapa regional, em fevereiro deste ano no México.

A delegação é chefiada pelo chef francês radicado no Brasil Laurent Suaudeau, mas, apesar de os holofotes estarem sobre ela, os custos de meses de treino e as despesas da viagem para a delegação seguiram sem patrocínio. Para arrecadar algum dinheiro, Giovanna realizou alguns jantares pelo país no segundo semestre deste ano com a ajuda de cozinheiros parceiros, como Onildo Rocha e Wanderson Medeiros.

No momento, ela é assistida pelo próprio Laurent nos pratos que prepara para destronar os outros 23 competidores em Lyon. Segundo as regras do concurso, uma das receitas deve ter poulet de Bresse, um tipo de galinha francesa, e a outra deve ser totalmente vegetariana

O almejado pódio é coisa nunca alcançada pelo Brasil, que já foi à final em Lyon nove vezes, mas cuja melhor colocação foi a 10ª, em 1997. Até hoje, nenhum país das Américas chegou a qualquer das três posições do pódio, sempre dominado por europeus (dois países asiáticos já ficaram em segundo e terceiro lugar). A França é a recordista no topo do pódio: sete vezes campeã, seguida da Noruega, pentacampeã.

Em Lyon, o Brasil também estará representado na confeitaria, durante a final da Coup du Monde de la Pâtisserie, com o time de finalistas Marcone Calazans, que vai executar um doce com chocolate, Abner Ivan, que fará uma escultura de açúcar, e Fernando Oliveira, responsável por executar uma escultura de gelo, tradicional prova feita em pleno inverno europeu.

Em São Paulo. Como em 2016 o Bocuse D’Or no Brasil passou a ter duas etapas anuais, em outubro passado competiram no Rio oito candidatos, que foram reduzidos a quatro finalistas. São esses finalistas que se encontrarão na São Paulo Expo em novembro: Luiz Filipe Souza (subchef de Salvatore Loi, em SP), Ricardo Dornelles (Porto Alegre, RS), Marcelo Milani (São Caetano do Sul, SP) e Danilo Takigawa (Presidente Prudente, SP).

Segundo a organização do evento, cuja multinacional francesa GL Events é a mesma que gerencia o pavilhão de exposições em São Paulo, o presidente do Sirha deve continuar sendo Claude Troisgros, a presidência do Bocuse D’Or segue com Laurent Suaudeau, e Thomas Troisgros continua como diretor técnico do Bocuse D’Or.

SERVIÇO

SIRHA 2017

Onde: São Paulo Expo - Rod. dos Imigrantes, 1, Parque do Estado

Quando: 7, 8 e 9 de novembro de 2017

Ficou com água na boca?