Paladar

Comida

Comida

Madrid Fusión 2013 - segundo dia: motosserra e mineiros

Motosserra, haikai e raios ultravioleta são apenas três dos ingredientes que Stefan Wiesner trouxe para Madri. Em sua apresentação no Madrid Fusión 2013, o chef-filósofo-lenhador-alquimista-poeta-etc., da Suíça, preparou um salmão com folhas de cerejeira dentro de uma madeira de cerejeira levada a um forno de raios ultravioleta, com fumaça da combustão da cerejeira e um destilado de cereja.

22 janeiro 2013 | 16:09 por joseorenstein

O chef diz que esse prato é, para ele, como um haikai. O sal que usou para temperar é entranhado de música. Ficou uns minutos vibrando sobre um som gravado de 108 Hz, de pancadas em uma madeira de, o que mais poderia ser?, cerejeira.  É que, segundo Wiesner, o cristal do sal altera-se com a vibração sonora. Sal com sinfonia de Beethoven é ótimo, disse o suíço em sua insólita apresentação.

O salmão na madeira serrada por Stefan Wiesner, chef suíço. FOTOS: Jose Orenstein/Estadão

Neste segundo dia de evento, a espanhola Elena Arzak, o austríaco Heinz Reitbauer e o belga Dominique Persoone também chamaram a atenção. Antes deles, a apresentação dos jovens chefs mineiros Pablo Oazen, Fred Trindade, Felipe Rameh e Leonardo Paixão arrancou aplausos da plateia no auditório do IFEMA. O lombinho frito e defumado com palmito de Trindade aliou simplicidade e técnica, dando boa mostra do que os mineiros podem aportar à gastronomia. No fim da tarde desta terça, 22, em um workshop para cerca de 20 pessoas, Alex Atala e Felipe Rameh apresentaram os diferentes usos da mandioca.

Na noite de segunda-feira, os convidados do Madrid Fusión foram servidos de pão de queijo, paçoca de carne seca e caipirinhas, ao som de Ó, Minas Gerais no Casino de Madrid, no centro da cidade. O governador Antonio Anastasia fez longo discurso exaltando a participação de seu Estado no festival de gastronomia espanhol.

Ficou com água na boca?

O salão do Casino de Madrid, onde foi oferecido coquetel mineiro

Ficou com água na boca?