Paladar

Comida

Comida

Não confunda: steak tartare e carne cruda não são a mesma coisa

Em São Paulo, o clássico francês ganha um rival italiano que aparece em cardápios descolados da cidade; confira como fazer e onde comer cada um deles

14 junho 2017 | 20:46 por Renata Mesquita

França e Itália rivalizam em incontáveis receitas há séculos. No caso da carne crua, a disputa se acirrou recentemente aqui em São Paulo. A versão francesa, carne crua picada na ponta da faca temperada com mostarda, ketchup, cebola, alcaparras e finalizada com ovo cru, é o célebre steak tartare, que todo mundo conhece. Acontece que os restaurantes de comida italiana da cidade andam apostando na carne cruda, prato original do norte da Itália, mais exatamente do Piemonte. 

Bistrô. Nos 15 anos do Ici, o steak tartare já é um clássico

Bistrô. Nos 15 anos do Ici, o steak tartare já é um clássico Foto: Bruno Geraldi|Divulgação

Por ali, a carne crua batida na faca é servida com lascas de queijo ou trufas (dependendo da época), temperada apenas com azeite, sal e pimenta moída na hora, bem diferente da condimentada receita francesa. A versão mais sofisticada do prato, que leva as trufas, é chamada de carne cruda albese – referência à cidade de Alba, local dos leilões das trufas brancas. 

Até bem pouco, a carne cruda ainda era rara por aqui – aparecia esporadicamente, acompanhada de trufas em ocasiões especiais, mas nada parecido com a popularidade do steak tartare. Pois as coisas estão mudando: ela passou a marcar presença em cardápios italianos descolados.

Ficou com água na boca?

+LEIA MAIS:

Receita do steak tartare do Ici Bistrô 

Um dos responsáveis por colocar o prato do Piemonte no mapa paulistano é o chef italiano Rodolfo de Santis. O crudo de carne (R$ 28) que serve no Nino está entre os grandes sucessos da casa. Sua versão autoral leva carne picada em cubos pequenos, alcaparra, cebola roxa, queijo pecorino, cevada frita crocante e rúcula. 

Nino Cucina. A carne cruda do Rodolfo de Santis leva cevada crocante, pecorino e rúcula

Nino Cucina. A carne cruda do Rodolfo de Santis leva cevada crocante, pecorino e rúcula Foto: Elisete Borim|Divulgação

As variações são, como no caso do steak tartare, inevitáveis. O chef italiano Marco Renzetti serve na sua Osteria del Pettirosso a carne cruda (R$ 40) temperada com um picles feito na casa e a hortaliça italiana cavolo nero desidratado, que dá crocância ao prato. Na sua versão, a carne chega à mesa em pedaços um pouco maiores: “O sabor da carne é mais evidente na receita italiana, por isso o mais importante é usar carne de qualidade, saborosa, além de macia”. 

+ LEIA MAIS:

Receita carne cruda da Osteria del Pettirosso 

A versão com trufas pode ser encontrada no cardápio do Tappo (R$ 48), onde a carne chega à mesa bem vermelha e em pequenos pedaços. E tem quem faça a versão italiana batizada com o nome francês, caso de Renato Carioni do Così. O chef conta que optou por trocar o nome por receio de preconceito. Se é o seu caso, indicamos deixar a rivalidade de lado e provar a receita italiana que está por aí.

ONDE COMER

CARNE CRUDA 

Così. R. Barão de Tatuí, 302, Santa Cecília

Nino Cucina. R. Jerônimo da Veiga, 300, Itaim Bibi 

Osteria del Petirosso. Al. Lorena, 2.155, Jardins.

Vinheria Percussi. R. Cônego Eugênio Leite, 523, Pinheiros 

STEAK TARTARE 

Ici Bistrô. R. Pará, 36, Consolação.

La Casserole. Largo do Arouche, 346, República.

Le Jazz. R. dos Pinheiros, 254, Pinheiros.

Oui. R. Costa Carvalho, 72, Pinheiros. 

 

Ficou com água na boca?