Paladar

Comida

Comida

Pesticidas afetam bússola dos insetos

Por Júnior Milério

30 outubro 2013 | 22:44 por redacaopaladar

O mel de flor de laranjeira, favorito de muitos consumidores, ilustra a delicadeza do problema do sumiço das abelhas: desde 2006, uma praga vinda da Ásia afeta o laranjal e torna a planta improdutiva. Para Walkmar Brasil, engenheiro-agrônomo e membro da Associação Brasileira de Citricultores (Associtrus), esse é, hoje, o maior problema para o produtor de citros.

Para que as abelhas polinizem a laranjeira, as flores não podem ter sido pulverizadas com pesticida. A florada da laranjeira dura 28 dias, entre setembro e novembro, e nesse período a indicação é não usar pesticidas.

FOTO: Celio Messias/Estadão

Sem pesticida, as abelhas fazem o mel e polinizam as flores – sem elas, só 1% da florada vira fruto. Por outro lado, caso contaminada, a planta se torna improdutiva em três anos. Resultado: os agricultores pulverizam pesticida ao longo de todo o ano. Segundo Walkmar, os pesticidas mais comuns no País, os chamados neonicotinóides, não matam as abelhas, mas são suspeito de provocar o CCD. Lionel Segui Gonçalves, professor titular aposentado da USP, diz que o produto pode comprometer o sistema de navegação das abelhas, desorientando-as. Logo, elas se perdem ou desaparecem no campo, não retornando a suas colmeias.

LEIA MAIS:

+ Procura-se o mel e a abelha

+ Cultura de abelhas brasileiras pode dar uma infinidade de saborosos méis – saiba onde encontrá-los

+ Flores, frutas, especiarias e até algo de amargo

+ Enxame de jataís invade restaurantes

+ Brasileiro lidera campanha de alerta

+ Uma teia anárquica de combinações

>> Veja a íntegra da edição do Paladar de 31/10/2013