Paladar

Comida

Comida

Uma fruta para passar no pão

NHAC!

04 fevereiro 2015 | 19:26 por redacaopaladar

na primeira quinta-feira de cada mês

Durante muito tempo tratei um pé de caferana que havia no sítio dos meus pais como se fosse de azeitona do Ceilão. Alguém me ensinou errado e fiquei sem provar o fruto vermelho. Uma vez mordisquei um fruto imaturo, alaranjado e duro, pois é a coisa mais difícil do mundo encontrar caferana madura no pé. De um dia para o outro o fruto vai de laranja para vermelho e os passarinhos, a gente sabe, acordam mais cedo. Experimentei, não gostei e desisti. Não tinha noção do que estava perdendo.

Só muito recentemente consegui encontrar uma outra árvore – aliás, duas –, agora bem mais perto de mim, aqui em São Paulo, e com a sorte de ter um fruto maduro, vermelho, lindo. Colhi, era macio. Cheirei, não tinha perfume. Restava provar e aí, então, fui fisgada pela rubra manteiga de amendoim encapsulada. Fui logo perguntando a respeito para uma amiga viveirista, Juliana Valentini, do Viveiro dos Oitis. Sabida, ela veio sem titubear com o nome completo, Bunchosia armeniaca. Aí foi fácil puxar a ficha completa.

Leia mais:

+ Panquecas recheadas com caferana, banana e manteiga de amendoim

A fruta é exótica, parente da acerola. Veio dos Andes da Colômbia, Equador, Peru e Bolívia e, sorte nossa, se deu muito bem por aqui. Estamos em plena temporada de flores e frutos – verdes, laranja e maduros na mesma árvore. Seu desenvolvimento é rápido e a safra dura alguns meses. Costuma aparecer como árvore ornamental em algumas calçadas. É só ficar de olho. Em São Paulo são várias, espalhadas pela cidade com ajuda de pássaros que carregam o fruto para comer no sossego da copa de outra árvore. Sementes também germinam facilmente em volta da árvore-mãe – e você poderá conseguir uma muda se arrancar um desses pezinhos que não terão chance nenhuma de crescer ali na sombra. É uma ótima árvore para calçadas: tem bela floração amarela, não cresce muito e atrai muitos passarinhos. Se quiser comprar uma muda, procure em viveiros de frutas como o Ciprest  ciprest.com.br).

Caferana. Difícil é achar uma madura no pé: os passarinhos acordam mais cedo. FOTOS: Neide Rigo/Estadão

Agora, se nunca provou caferana, sua curiosidade deverá ser atiçada ao ouvir um de seus nomes: fruta manteiga de amendoim, ou peanut butter fruit, como é conhecida em inglês. A fruta parece um pacotinho de manteiga de amendoim com consistência de doce de feijão e cor de extrato de tomate embalado em celofane finíssimo que se funde com a massa. Se você come de olhos fechados sente o sabor de amendoim cozido. A consistência pastosa permite que seja passada diretamente no pão, em torradas ou em panquecas.

Está certo que metade do volume da fruta é ocupado pela semente, que é tão ou mais decorativa que o fruto, com uma pontinha vermelha. Mas o bom é que a semente é muito dura e a polpa muito mole, de modo que basta esfregar o fruto maduro nas tramas de uma peneira para separar facilmente as duas partes. A massa vermelha obtida é cremosa, lisa, doce e com sabor amendoado. Não tem muito perfume nem acidez. Em compensação, é só juntar umas gotas de vinagre ou limão para que se transforme num delicioso molho como o de tomate, se for preparado igual. A cremosidade e a falta de acidez também faz dela uma fruta perfeita para bater com iogurte ou kefir. E ainda vai bem na vitamina de banana, no sorvete, nos doces em pasta. Para pratos vermelhos agridoces, melhor ainda, pois além da cor tem o açúcar, sendo a acidez fácil de conseguir.

Desjejum. Com textura de doce de feijão e cor de tomate, a caferana ressalta o sabor da manteiga de amendoim nas panquecas inspiradas em dorayaki

A receita a seguir foi inspirada nas panquecas fofas japonesas, ou dorayaki, mas recheadas à moda americana com manteiga de amendoim sem açúcar e banana. No lugar de morangos, pequenas porções cremosas de caferana que se fundem com a manteiga de amendoim, intensificando sua presença. Para completar, um fio de melado de cana e nhac!

Como usar

Colher e amadurecer

Caferanas dificilmente ficam dando sopa maduras no pé. Colha as frutas alaranjadas e deixe na fruteira. Estarão maduras quando estiverem vermelho-vivas e macias.

Congelar

Lave as frutas maduras com delicadeza e espalhe em uma bandeja. Leve ao freezer. Quando estiverem congeladas, solte-as e embale em saco plástico. Não precisa descongelar antes de usar, pois elas ficam firmes, mas nunca duras.

>>Veja a íntegra da edição do Paladar de 5/2/2015

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.