Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Bar Guilhotina abre as portas no Baixo Pinheiros

Ali, o bartender Márcio Silva quer passar a "guilhotina" nas frescuras da coquetelaria e fazer da experiência com drinques algo mais despretensioso

14 dezembro 2016 | 22:00 por Renata Mesquita

Depois da profusão de inaugurações de bares de cerveja artesanal, Pinheiros, agora não para de ganhar novos bares de coquetelaria. Primeiro, foi o Negroni, que abriu em maio, depois o Guarita, em junho, e ontem (14) o Guilhotina abriu as portas. O bar é despojado, sem frescuras, mas o melhor ali é a carta de drinques: eles são autorais, porém nada mirabolantes.

Despojado. Fachada do novo bar no Baixo Pinheiros.

Despojado. Fachada do novo bar no Baixo Pinheiros. Foto: Leo Feltran|Divulgação

O experiente Márcio Silva, barman que inaugurou o SubAstor, é o sócio-responsável pela preparação e pelo preparo dos drinques. A carta tem oito opções de coquetéis, todos de sua autoria e com preço fixo de R$ 29. O rabo de flamingo (uma clara brincadeira com o rabo de galo) leva cachaça infusionada com abacaxi, vermute e bitter, e no maldade pouca é bobagem vai rum com especiarias, bourbon e club soda. 

A ideia do bartender é introduzir novidades aos poucos e servir também os clássicos, que não estão no cardápio, mas são feitos ali com competência. "Pode pedir o que quiser. Se eu souber fazer, faço, se não, basta me ensinar que eu faço também", brinca ele. 

Ficou com água na boca?

Nesta primeira semana de funcionamento, o bar já recebe um convidado especial, o bartender sueco Alex Skarlen, que vai comandar as coqueteleiras ao lado de Márcio. 

Bar. O balcão de 7 metros.

Bar. O balcão de 7 metros. Foto: Leo Feltran|Divulgação

O nome Guilhotina tem uma explicação: "Queremos passar a guilhotina nas frescuras que a coquetelaria passa a impressão de ter. É para ser uma experiência gostosa e despretensiosa", diz Márcio.

O ambiente  é descontraído -- e foi projetado para isso, com as paredes descascadas com tijolo aparente, pé-direito alto e tubulação à vista, com o piso original da casa, como tantos bares e restaurantes abertos nos últimos tempos. Mas é um lugar simpático e informal, com as bancadas altas, uma varanda e algumas mesas na calçada.

A sugestão é você se acomodar em um dos bancos do extenso balcão, onde os bartenders trabalham de costas para uma enorme parede com uma prateleira moderna que acomoda plantas, garrafas e bugigangas de bar até a base das telhas. 

O drinque Maldade pouca é bobagem.

O drinque Maldade pouca é bobagem. Foto: Leo Feltran|Divulgação

Márcio e os sócios, Marcello Nazareth e Rafael Berçot, também decidiram descomplicar a cozinha. De hoje até o fim do ano, saem apenas três opções de petiscos, um sanduíche de barriga de porco (R$ 22), empanadas queimadinhas em diferentes sabores (R$ 9 a unidade, como carne, ricota com espinafre e calabresa com queijo) e alguns beliscos untuosos que vão bem com os etílicos, como a porção de salame italiano (R$ 11). 

Mas, se você busca cerveja artesanal, vá a outro bar. Ali tem apenas duas opções, Stella Artois ou Estrella Galícia, ambas a R$ 10 (long neck).  

SERVIÇO

GUILHOTINA 

R. Costa Carvalho, 84, Pinheiros

Tel: 3031-0955

Horário de funcionamento: 17h/1h (fecha seg., terç., e dom.)

 

 

Ficou com água na boca?