Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Izakaya Issa ganha irmão em Pinheiros

Cinco anos depois de abrir discretamente na Liberdade, o Izakaya Issa ganha um irmão, o Matsu – o nome quer dizer pinheiro e foi escolhido em homenagem ao bairro em que a casa se instalou.

14 janeiro 2015 | 17:49 por mariliamiragaia

A nova casa carrega a mesma carga genética do original. Quando abriu, em 2009, o Issa passou batido para muita gente: era fácil perder sua entrada, discreta – na época, nem placa na porta tinha. O Matsu tem o mesmo clima: é diminuto, tem entrada discreta, ambiente também centrado no balcão e cardápio de boteco japonês.

Limitado. Matsu vai servir teishoku no almoço – só 25 porções por dia. FOTOS: Gabriel Bilo/Estadão

O Paladar esteve lá para provar, em primeira mão, algumas das novas receitas da casa, com inauguração programada para o final do mês.

Ficou com água na boca?

O cardápio nasceu de três fontes diferentes: de pesquisas que Margarida Haraguchi, a proprietária, fez no Japão; de pratos quentes com a mão de seu marido, Massanobu Haraguchi (Ban) e do repertório de receitas de Lucio Ouba, filho de dona Margarida que morou no Japão e vai dirigir a casa.

A grande diferença entre os dois izakayas é que o Matsu vai abrir também para o almoço, servindo teishokus – o PF japonês – de segunda a sexta. Serão apenas 25 porções a cada dia. “Acabou, não tem o que fazer”, diz Margarida.

O teishoku (em torno de R$ 35) é composto por otoshis (entrada que varia a cada dia), gohan (arroz) e missoshiro, além do principal, que pode ser a delicada carne de porco com molho de gengibre adocicado – entre outras opções.

Os pratos servidos à noite seguem a linha do que é preparado na Liberdade, com algumas exceções e novidades. Não farão parte do menu, ao menos no início, dois clássicos do Issa, o okonomiyaki (que lembra uma omelete recoberta por raspas de bonito) e o takoyaki (bolinhos recheados de polvo).

De lado.Assim como o Issa, o Matsu é pequeno e tem o balcão como centro do restaurante

As estrelas da casa devem ser os dois hambúrgueres servidos sem pão, inspirados em restaurantes que fazem sucesso entre jovens no Japão.

Antes de ir embora.Peça arroz com chá- verde, para revigorar

Um deles, o nikomi hambagu é mergulhado em um demi-glace denso e saboroso e coberto por um ovo perfeito – combinação perfeita para apetites generosos e dias de inverno. O outro, wafu tarê hambagu, vem na chapa com molho tarê e é coberto com nabo ralado, que pode ser combinado ao molho, equilibrando seu sabor.

A casa está fazendo testes com algumas receitas inéditas. Por exemplo, está experimentando usar o caule de raiz-forte para engrossar o caldo dos otoshis – como o cogumelo eryngii refogado na manteiga com dashi (caldo japonês), raiz de bardana e nirá.

Entre as porções, são novos o buta missozuke (carne de porco temperada e frita), o tori momoyaki (coxa de frango temperada e frita) e o tebasaki (asa de frango recheada com carne moída e nirá). Os pratos ainda não têm preço. Além das novidades, a base é o cardápio do Issa, com seus karês, tempuras e udons.

Generoso.Hambúrguer mergulhado em molho demi-glace com ovo perfeito

Para beber, há cerca de 30 saquês e sochus – e a possbilidade de comprar a garrafa e deixar na casa com seu nome, para consumir a cada visita. E, por falar em bebida, depois de prová-las, não esqueça de pedir o ochazuke, tigela de arroz embebido em chá-verde que no Japão se consome depois do último copo para revigorar antes do retorno para casa.

SERVIÇO | Matsu

Onde: Av. Pedroso de Moraes, 403

Tel.: 3812-9439.

Quando: 11h30/14h30 e 18h30/23h30 (fecha domingo)

>>Veja a íntegra da edição do Paladar de 15/1/2015

Ficou com água na boca?