Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Jean-Louis Neichel encerra atividades no fim de janeiro por causa da crise

Por Débora Hap

23 janeiro 2015 | 15:28 por redacaopaladar

Jean-Louis Neichel, o único que chef da Espanha que, junto com Juan Mari Arzak, mantém uma estrela Michelin há 40 anos, fechará no dia 31 de janeiro o restaurante que leva seu nome, “porque a crise continua e, na gastronomia, não parece que vai passar; e eu me nego a abaixar a qualidade”, disse Neichel.

Depois de passar pelos fogões do elBulli, onde conseguiu sua primeira estrela Michelin, Neichel abriu seu restaurante em 1981 no bairro residencial de Pedralbes, em Barcelona, e rapidamente o restaurante se tornou em um lugar de culto para os amantes da alta cozinha mediterrânea.

FOTO: Alejandro García/EFE

Ficou com água na boca?

Em entrevista à Efe, o chef francês garante que o restaurante permanecerá fechado pelo menos até maio e que vai usar esse tempo para refletir sobre o futuro: se vai ou não reabrir o restaurante no mesmo local, mas com outro conceito, pois seu filho Mario “quer seguir na gastronomia, mas tomando conta de um barco um pouco menor.”

O anúncio do fechamento provocou uma disparada nas reservas no restaurante, que faz algumas semanas está operando lotado. Muitos dos clientes, reconhece o chef com um pouco de ironia, “agora vêm chorar” sem se lembrar dos meses em que ele precisou manter a casa com menos da metade das mesas ocupadas.

De acordo com Neichel, algumas grandes empresas se aproveitam da crise obrigando os restaurantes a reduzir os preços pelo serviço enquanto os gastos fixos do local continuam os mesmos e os ingredientes de qualidade só sobem de preço. Ainda que nos últimos dois anos ele tenha ajustado os preços e elaborado menus mais competitivos para grupos, o chef confessa que não poderia mudar o perfil ou a qualidade de seu restaurante e, por exemplo, servir sardinhas como nos restaurantes de tapas.

Outro argumento que colabora para o fechamento é que, aos 68 anos, o chef tem vontade de fazer outras coisas: “gosto de pintar aquarela, mas não deixarei de estar ligado à gastronomia e aos fogões porque é minha paixão.”

Neichel conseguiu sua primeira estrela Michelin no elBulli em 1976, e diz com orgulho que foi ele quem revolucionou a gastronomia na época, quando o elBulli não era tão famoso, anos antes de receber Ferran Adrià. Ele conta que nunca se arrependeu de sair do elBulli e de se estabelecer em Barcelona por sua conta.

O chef diz que, hoje, se fala menos de guias e estrelas, e que os clientes “querem comer bem mas sem tantas firulas como talheres de prata, toalhas de fios e pratos exclusivo.” Para ele, os outros restaurantes da mesma categoria do seu também passam pelo mesmo problema, mas seguem funcionando diminuindo os gastos e fazendo dívidas.

Ficou com água na boca?