Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Jefferson Rueda abre casa de hot-dog no centro

Com decoração circense e salsicha artesanal de porco, Hot Pork é inaugurado nesta quinta (25) na esquina das ruas Epitácio Pessoa e Bento Freitas. Em maio, a confeiteira Saiko estreia sua sorveteria logo ao lado

24 janeiro 2018 | 20:08 por Renata Mesquita

Em cartaz desde agosto na Casa do Porco, o hot pork, cachorro-quente artesanal criado por Jefferson Rueda, tem a partir desta quinta (25) endereço próprio. A poucos metros do Bar da Dona Onça, casa de Janaína Rueda, na rua Epitácio Pessoa, o Hot Pork surge para ampliar o eixo gastronômico do centro.

Criador e criatura

Criador e criatura Foto: Gabriela Biló|Estadão

Este é apenas o primeiro de alguns empreendimentos que o casal Rueda vai abrir nos próximos meses na região. Para maio já está prometida a sorveteria de Saiko Izawa, confeiteira que acompanha Jefferson desde o Attimo. A ideia do casal é inspirada nos moldes que outros chefs criaram, como o espanhol Albert Adrià e o português José Avillez, de ocupar bairros com casas de diferentes formatos uma ao lado da outra.

 

Ficou com água na boca?

No novo Hot Pork tudo (do pão ao ketchup) é produzido ali, à vista do cliente – inclusive a salsicha, receita de Rueda 100% artesanal, feita apenas com carnes de porco, sem aditivos com validade de apenas um dia. Diferentemente da primeira versão, a salsicha do Hot Pork agora tem 18 cm e chega à mão do cliente no pão da casa com ketchup de maçã e especiarias, mostarda fermentada com tucupi, maionese e picles de cebola roxa (R$ 15). Além do hot pork, só o not pork, versão vegana da salsicha feita com cogumelos (R$ 15).

Hot Pork e Not Pork

Hot Pork e Not Pork Foto: Gabriela Biló|Estadão

Com uma casa só para si, o hot pork não aparece mais no menu da Casa do Porco, nem os carrinhos onde eram servidos, que devem entrar na decoração da nova casa. Com ar de picadeiro de circo em cores primárias – parede azul, balcão amarelo, chão vermelho –, foi inspirada nas criações de Alexander Calder. Não há mesas ou cadeiras, só banquetas de apoio. Para beber, invista na cidra Epó de hibisco e abacaxi da Morada on tap (R$ 9).

Para comemorar a inauguração – e o aniversário da cidade – o Hot Pork arma nesta quinta (25) a barraca do seu circo. Terá Jefferson e Janaína atrás do balcão e atrações circenses na calçada.

 

Já na sorveteria de Saiko, ainda sem nome, o modelo se repete, um show de uma só estrela: o soft serve, aquele sorvete cremoso servido na casquinha que sai direto da máquina. Saiko vai criar sabores conforme os ingredientes da estação, tudo sem aditivos ou pastas prontas. A ideia da confeiteira é criar sobremesas no cone, muito além só do sorvete, com combinações de sabores e acabamentos. Na visita do Paladar, ela preparou uma versão da sua premiada sobremesa da Casa do Poco de morango, salsão e sorbet de manjericão no cone.

Meio sorvete, meio sobremesa da Saiko

Meio sorvete, meio sobremesa da Saiko Foto: Gabriela Biló|Estadão

Ficou com água na boca?