Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Madrid Fusión 2013 – terceiro dia: Atala primeiro do mundo?

Na sala de imprensa, aliviado depois de se apresentar e de fumar um cigarro, Alex Atala foi abordado pelo chef Dominique Persoone. Recebeu os cumprimentos do chocolatier belga, que elogiou a aula que o chef brasileiro tinha acabado de apresentar neste terceiro e último dia do Madrid Fusión 2013.

23 janeiro 2013 | 16:54 por joseorenstein

Deu-lhe uns tapinhas nas costas e disse, como que cochichando: “You’re the number one” (Você é o número um). Segundo o belga, é forte o boato de que Atala, com seu D.O.M., deve ser indicado em primeiro lugar na próxima lista dos 50 melhores restaurantes do mundo da revista Restaurant, que deve sair no final de abril. Vários outros chefs abordaram Atala comentando a mesma coisa.

Atala exibe um coco germinado para a plateia no Madrid Fusión 2013. FOTOS: Javier Lizón/EFE

Para esta edição do Madrid Fusión, Atala veio como convidado do festival. Recebeu as passagens de classe executiva, hospedagem no Ritz e um cachê de cerca de 10 mil euros – que disse ser o que normalmente recebe quando é convidado. Mas lembrou que, em 2005, quando começou a aparecer no circuito internacional,veio de econômica e tinha que tomar ônibus para se apresentar.

O chef brasileiro começou sua aula, uma das mais aplaudidas no evento, dizendo: “Não vou falar muito, sou cozinheiro”. Mas com discurso manso, foi conquistando a plateia. Mostrou um coco germinado, que ocorre em dias de mar revolto e que contém um carne que lembra uma maçã esponjosa, e o usou em para preparar um prato com alga marinada em vinagre com cumarú e azeite de baunilha do Cerrado, que ele utiliza no D.O.M. – foi o mesmo prato que Atala apresentou no Paladar – Cozinha do Brasil, em junho de 2012.

Ficou com água na boca?

O segundo prato foi também uma entrada fria: um ceviche de flores em mel de abelhas nativas. “É uma salada que aprendi com xamãs da Amazônia. Tento usar tudo o que vem da América Latina profunda”, disse Atala. O mel de abelhas nativas, aliás, foi um dos pontos do vídeo exibido no fim da aula, uma animação narrada em espanhol que destacou o papel dos pequenos produtores, que devem ser incentivados, e o problema da lei do RIISPOA, que não permite que o tal mel seja comercializado no Brasil.

Chefs mineiros sobem ao palco para serem homenageados no último dia de Madrid Fusión.

Mas antes do vídeo, Atala ainda preparou dois pratos com mandioca: na manteiga com catupiry, e um bacalhau à Braz, com mandioca palha em vez de batata e finalizado com vinagre de jerez.

Ao fim da apresentação, Atala agradeceu ao governo de Minas Gerais e o governador Antônio Anastasia e todos os 15 chefs mineiros convidados para o Madrid Fusión subiram ao palco para receber homenagens. Esmeralda Capel, da direção do festival, agradeceu aos brasileiros e comentou no microfone que nunca tanta gente tinha vindo ao evento de uma só vez, o que fez desta “uma das mais complicadas edições do festival”.

 

Ficou com água na boca?