Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Puro reduto etílico

O mixologista Marco De La Roche, depois de 12 anos de experiência criando cartas de drinques para bares e restaurantes no Drink.Lab, agora inaugura seu primeiro bar. O Casa Café começa a funcionar segunda-feira, 17, em Pinheiros. De La Roche não pretende competir com a gastronomia dos restaurantes do bairro: quer que o número 25 da Rua Mourato Coelho se firme como um reduto etílico.

12 fevereiro 2014 | 20:05 por juniormilerio

Solo. Depois de de 12 anos no Drink.Lab, o mixologista Marco de la Roche (ao fundo) abre sua primeira casa. FOTO: Rafael Arbex/Estadão

Mais de 250 rótulos de bebidas estão dispostos nas prateleiras do bar, além de 50 variedades só de cachaça. A carta de drinques é dividida nas categorias Bares Amigos, do Brasil, da Casa, Clássicos e drinques com Cerveja. “Quero resgatar drinques nacionais e mostrar a coquetelaria atual do Brasil”, diz De La Roche.

Dos bares amigos veio o santa cruz julep (R$ 23), do Meza Bar, no Rio de Janeiro. Feito com uísque, hortelã, limão e xarope de camomila, à base de chá da erva, o drinque é servido com bastante gelo, numa caneca de metal.

Cedido. Santa cruz julep, drinque emprestado pelo Meza Bar. FOTO: Rafael Arbex/Estadão

Ficou com água na boca?

De acordo com pesquisas do dono da casa, a primeira menção à cachaça documentada foi feita em 1584. E, por isso, a data inspira o nome do clássico brasileiro no Casa Café: a caipirinha 1584 (R$ 18). A bebida leva cachaça, limão-taiti, mel e um intrigante alho assado. “Ele estimula o olfato e por isso está no drinque, mas quem quiser pode misturar com a bebida ou mastigar”, sugere. E ele ressalta que, ali, a caipirinha não terá firulas, apenas cachaça e limão.

Em vez de menu degustação de comida, como fazem os restaurantes, o Casa Café oferece uma degustação etílica. Com preços entre R$ 70 e R$ 120, escolhe-se a bebida, que pode ser gim, rum, uísque, vodca, entre outras categorias, com direito a cinco doses, em cinco versões.

Na seção bebidas regionais do Brasil, que não inclui cachaça, há da licorosa canjinjin, típica do Mato Grosso, à base de aguardente, mel, gengibre, cravo, canela e outros ingredientes, e até a cravinho, bebida regional de Salvador.

Alho. Caipirinha 1584 tem cachaça, mel, limão e surpreende com um dente de alho assado. Pode-se misturar

na bebida, mastigar ou apenas cheirar. FOTO: Rafael Arbex/Estadão

A carta de cervejas tem espaço para a brasileira Saison à Trois, da 2Cabeças (R$ 24), e estrangeiras como a escocesa Brewdog Punk IPA (R$ 23)e a americana Brooklyn Brown Ale (R$ 18). Já os vinhos têm carta enxuta. Entre brancos, espumantes e tintos, são cerca de 14 rótulos no total.

A comida tem seu espaço no cardápio, com almoço executivo com quatro pratos fixos, além do prato do dia, e preços entre R$ 22 e R$ 28. Acepipes como o tentador bolinho de chuva (R$ 6,80 a porção) e outros podem ser consumidos também no piso superior, acompanhados da leitura de um dos 400 livros do acervo pessoal de De La Roche disponibilizados para o público.

SERVIÇO – Casa Café

R. Mourato Coelho, 25, Pinheiros

Tel.: 4562-1652

Horário de funcionamento: 11h30/0h (2ª, até 19h; 6ª e sáb. até 2h; fecha dom.)

>> Veja a íntegra da edição do Paladar de 13/2/2014

Ficou com água na boca?