Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Um underground de verdade

Nascido debaixo da Radial Leste num cantinho meio perdido da Bela Vista, o restaurante/lanchonete Box62 desafia o asfalto com ótimas coxinhas, rissoles, croquetes, cuscuz, doces e pratos bem fornidos – tudo a preços de Bixiga

22 outubro 2014 | 20:12 por joseorenstein

Feito a flor de Drummond, o Box62 irrompe o asfalto. No caso, brota por baixo dele, sob o concreto da Radial Leste e seu rio de aço do tráfego.

Há mais de um ano e meio voando abaixo dos radares foodies e instagrameiros de plantão, o restaurante e lanchonete da cozinheira Mara Rasmussen Azenha funciona no número 557 da Rua Jaceguai, Bela Vista, o Bixiga.

O Box62 ocupa pequeno espaço no sacolão que existe sob o viaduto Júlio de Mesquita Filho. Quem vem descendo a degradada Jaceguai, desde a Brigadeiro Luís Antônio, talvez não desconfie que, ali, uma passagem leve a uma pacata São Paulo meio perdida no tempo. Além do Box62, tem açougue, pastelaria e a venda de frutas, verduras, legumes.

Box62. Clima caseiro e cardápio atraente; Mara, a cuca e dona. FOTO: José Patrício/Estadão

Ficou com água na boca?

“Quer comida mais local que isso?”, ri Mara, que compra dos vizinhos muitos dos insumos que usa na simpática e bem equipada cozinha que instalou ali.

Porque não é só o improvável clima caseiro de uma lanchonete sob uma das mais movimentadas vias da cidade que faz do lugar boa pedida, mas, principalmente, um atraente cardápio, nos preços e na qualidade da comida que oferta.

As coxinhas, por R$ 5,50, são ótimas – feitas com massa de batata, abóbora, batata-doce ou mandioca. Na mesma faixa de preço, completam as opções de salgados os rissoles e o croquete. Também por R$ 5,50, boas quiches e tortas são servidas – e, por um real a mais, tem um competente cuscuz (paulista) de camarão. Cerveja de garrafa vai bem com tudo isso, mas as jarras de mate feito na hora, por R$6, matam de vez a sede.

Para refeições de mais sustança, Mara prepara pratos bem fornidos, com o que tiver fresco na hora. Não costuma faltar lula, filé de anchova ou filé mignon, que são o centro de pratos guarnecidos por arroz integral, feijão bolinha, verduras, farofa. Moqueca de peixe também costuma figurar no cardápio. Essas refeições completas variam entre R$ 22 e R$ 30. E vêm sempre com uma salada orgânica (essa não vem do sacolão, mas da feira da Água Branca) no capricho. Há boa oferta de doces, clássicos, como pudim, manjar branco, arroz doce e tortas de limão, banana e maçã (tudo por R$ 5,50), servidos nas mesinhas posicionadas no meio da passagem sob o viaduto. A fauna diversa do Bixiga circula por ali. E é alta a chance de na mesa ao lado sentarem profissionais do teatro (o Oficina fica em frente), como o diretor José Celso Martinez Corrêa e seus seguidores ou o ator Paulo César Pereio, vizinho e cliente fiel.

Mara Rasmussen Azenha, cozinheiro do Box62. FOTO: José Patrício

O trânsito boêmio no box de Mara não é por acaso. Antes do novo negócio, ela, que é formada em Letras, como atesta o diploma na parede da cozinha, entre outros quadros e sob livros, promovia jantares na sua própria casa, numa vila não longe dali.

Isso foi depois de ela ter cuidado da cozinha do bar Platibanda, do qual era sócia, na Vila Madalena. Antes ainda, em 1979, foi precursora da boemia naquele bairro, quando abriu o Bar da Terra – “reduto da esquerda”, lembra. Hoje, o público, fora a turma dos palcos e moradores do bairro, é também composto de escritores, como Reinaldo Moraes (autor de Pornopopéia), que lança seu próximo livro no Box62, mês que vem. “Mas nunca mais quero a confusão da noite!”, diz a cozinheira. O Box62 abre apenas de dia, das 9h às 18h30, de segunda a sábado.

SERVIÇO - Box62

R. Jaceguai, 557, Bela Vista

Tel.: 98725-4761

9h/18h30 (fecha domingo)

Não aceita cartão, só dinheiro ou cheque

Ficou com água na boca?