Paladar

Avelar Jr – Coluna 07: Questões de fuso, ou, como conheci a Gordon Biersch

Avelar Jr – Coluna 07: Questões de fuso, ou, como conheci a Gordon Biersch

14 outubro 2014 | 11:35 por Raphael Rodrigues

FOTOS: Divulgação

Nada como passar alguns dias no Brasil no mês de fevereiro, para descansar do rigoroso inverno norte-americano. Na volta, além do frio que me espera, tenho também uma incansável maratona de aviões e aeroportos que separam Belo Horizonte de Boston.

O voo segue o ritual da classe econômica, crianças chorando, fila para usar o banheiro e aquele jantar com sabor de isopor, acompanhado de vinho barato. O avião, com televisão no corredor, parecia ter saído do filme Aeroporto 75, um clássico do cinema catástrofe com Charlton Heston e Linda Blair. Tudo bem, o importante é que no dia seguinte e com apenas 3 horas de fuso estarei em casa.

Em Miami, passadas a imigração e a alfândega, lá vou eu para uma escala em Washington D.C. Ao chegar na capital americana, o que me espera? A famigerada neve. Apesar do avião ter pousado bem, todos os outro voos saindo do aeroporto Ronald Reagan estavam cancelados temporariamente. O que seria uma espera de duas horas até o próximo voo para Boston se transformou em uma incógnita. O melhor seria forrar o estômago, depois da noite mal dormida e do chá de aeroporto que estava por vir.

Olho em minha volta no terminal 3 e vejo: Gordon Biersch Brewery Restaurant. Já tinha achado o meu lugar para passar algumas horas. Um bom sanduíche e uma cerveja fresquinha sempre caem muito bem. Mal sentei, e já de olho nas torneiras, pedi uma Maibock. Eu sou fã das cervejas estilo bock e a Maibock (também conhecida com Helles Bock), é um estilo difícil de encontrar. Esta é uma versão mais clara e um pouco mais amarga do que as tradicionais bock, doppelbock e eisbock.
Ao contrário das outras bocks, que são conhecidas como cervejas de inverno, na Alemanha, a Maibock é geralmente consumida na primavera.

Já apreciando esta deliciosa cerveja corro o olho rapidamente pelo cardápio para escolher o meu almoço. Um Garden Turckey Burger cairia muito bem. Faço o pedido para a garçonete que, com aquele tradicional sotaque sulista, e olhos miúdos de reprovação, me diz:
Estamos servindo somente o cardápio do café da manhã

A palavra café da manhã soou quase como soletrada. B-R-E-A-K-F-A-S-T.
Eu, com uma cara meio sem graça, digo:
Ok, vou dar mais um olhada e depois faço o pedido

Depois de olhar sutilmente a minha volta, para procurar outros bebedores cerveja matutinos (tinham mais dois no bar) olho no relógio e…o que?!…9:30 da manhã.
Depois de toda a maratona de voos, imigração, alfândega e afins eu não acreditava que ainda era tão cedo. O fuso horário de 3 horas em relação ao Brasil também ajudou a aumentar a confusão (eram 12:30 no Brasil).
Mesmo assim o olhar repressor da garçonete não justificava. Será que as pessoas não sabem que na Europa é costume beber cerveja pela manhã?! Alguns estilos são inclusive designados especialmente para isto. Pois bem…pedi mais uma cerveja e um omelete.

Até este dia eu não conhecia a Gordon Biersch e posso dizer que foi uma boa surpresa. Esta rede de brewpubs é especializada em cervejas alemãs. A comida é boa e a cerveja fresca, porque geralmente é fabricada no próprio restaurante. A rede é apenas um braço do grupo CraftWorks Restaurants & Breweries, Inc que controla também outros restaurantes do mesmo segmento como o Rock Bottom Restaurant Breweries e o ChopHouse & Brewery.

Os brasileiros que vem aos Estados Unidos, com objetivo de apreciar boas cervejas, são geralmente o que chamamos de hopheads. Vem em busca das lupuladas IPAs americanas, reconhecidas mundialmente pelos aromas cítricos e grande amargor. Por isto muitos vão torcer o nariz com a minha sugestão de um restaurante especializado em cervejas alemãs. No entanto, quem for pode se surpreender. Em muitos lugares (como em um terminal de aeroporto) não existem muitas opções e o Gordon Biersch pode ser uma excelente escolha para uma refeição rápida, por um bom preço e uma boa cerveja.

A rede tem ao todo 35 estabelecimentos, localizados em 19 estados diferentes, e mais 4 restaurantes em Taiwan. Pode entrar, por que mesmo que a garçonete não seja das mais simpáticas a cerveja é boa. E se por acaso, o horário não for o mais apropriado, não se preocupe. Lembre-se que você está a passeio e sempre será tarde ou noite em algum lugar do mundo

Prost 😉

Depoimento de Tom Dargen, diretor da Gordon Biersch:

Conheça a Gordon Biersch:

Leia as outras colunas do Avelar Jr.