Paladar

Balada e coquetelaria criativa (e de qualidade) combinam?

Balcão do Giba

Drinques para fazer em casa

Balada e coquetelaria criativa (e de qualidade) combinam?

No balcão do Benzina, sob a batuta do bartender Gabriel Santana, a resposta é um impressionante 'sim'

10 de janeiro de 2020 | 15h53 por Gilberto Amendola

Balada e coquetelaria criativa (e de qualidade) combinam?

De bate pronto, minha resposta seria “não”. Não rola. Muita gente se esbarrando, sem conforto, barulho, calor…

Além do mais, em ambientes mais agitados, a regra é aquela gim tônica feita de qualquer jeito ou, socorro, aquele uísque (ou vodca) com energético.

Mesmo excelentes bares costumam se perder um pouco (ou muito) no serviço quando a casa está bombando. Eu mesmo sou do tipo que chega cedinho para não enfrentar balbúrdia (rá) e arrumar um cantinho no balcão.


Zombee, do Benzina, com cachaça, laranja, maracujá, jerez e limão taiti. FOTO: Lucas Terribili

 

Agora, esse nó entre “beber bem” e “balada” tem sido desatado lá no Benzina. O bar fica na Vila Madalena, bem na esquina das ruas Girassol e Wisard. O imóvel é grande – com dois níveis e um mezanino. Além disso, conta com tudo aquilo que eu chamo de “pacote balada”: música é alta, gente querendo socializar, muvuca na hora de pedir bebida e tal e coisa.

Com essa configuração, seria difícil encontrar alguém que apostasse em encontrar ali um bar que oferecesse uma coquetelaria criativa e de qualidade.

Gabriel Santana (que foi o representante brasileiro na etapa final do World Class 2019, em Glasgow, na Escócia) e sua equipe conseguiram. A carta do Benzina entrega tudo aquilo que você espera de um bar focado em coquetéis. Mais do que isso, tem uma política de preço que é um oásis na cidade.

 

A carta é dividida em três momentos: Sugestões (com drinques por R$ 25); Intocáveis (por R$28) e Go Crazy (R$30).

Com destaque para o Swiss Old (R$30) – feito com vodca, infusão de chocolate branco, fat washed no óleo de coco, bitter de chocolate e absinto. Também curti bastante o Hoff Man (R$ 30) – que leva gim, aperol, limão taiti e baunilha.

Swiss Old, absinto, vodca, infusão de chocolate branco, fat washing de óleo de coco e bitter. FOTO: Lucas Terribili

 

Vale muito também experimentar a releitura do clássico Zombie, o Zombee (R$30) – que leva cachaça premium, laranja, maracujá, jerez e limão taiti.  O drinque ainda leva um toque de mel e é finalizado com canela (em chamas, rs).

O Benzina fica na Rua Girassol, 396, Vila Madalena.

Claro, se você não quer enfrentar o clima de balada do lugar, o melhor é visitá-lo às terças e quartas.

Quer conhecer o Gabriel? Já gravamos dois vídeos com ele lá no início do blog:

 

Shake and stir

Nesse domingo, 12, ocorre a primeira edição do “Brega Brega Xique-Xique”, evento com bartenders nordestinos que atuam na cidade de São Paulo. A festa será no domingo, a partir das 14h , na Rua dos Pinheiros, 1.255 (Bar do Pernambuco). O blog conversou com o Leone Silva, bartender do Sylvester Bar e idealizador do projeto:

 

1 – Como nasceu o evento?
A ideia nasceu em um dia que estava no Bar do Pernambuco juntamente com o Bigode, dono do local. Estávamos bebendo e conversando sobre o Norte e o Nordeste brasileiro e toda a rica cultura que essa região nos dá, comparamos as diferenças culturais entre a cidade grande e o nordeste. Entre elas os gostos musicais, as especiarias, o lazer e todos os diferentes modos de viver em cada região. E me ocorreu que a grande São Paulo é carente de bares com a coquetelaria focada nas diversidades nordestinas que temos, e senti que falta mais disso no cotidiano do paulistano. Se você parar para analisar, no meu meio de trabalho, a maioria dos barmen, garçons, metres e gerentes são nordestinos. Assim, me veio a inspiração em realizar um evento direcionado a essa cultura. E recebi o grande convite para a realização do evento no Bar do Pernambuco.

 

2 – Como a cultura nordestina se expressa na coquetelaria?
A cultura nordestina nos influencia de muitas formas. A culinária nordestina, por exemplo, já está aplicada na mesa do brasileiro com seus sabores fortes e únicos. Agora, com as frutas dessa região a maneira de compor coquetéis também ficou ainda mais valiosa. Com o caju, melão, jambu, jerimum e até mesmo iguarias como a manteiga de garrafa, carne seca, queijo de coalho, ervas e temperos, temos toda uma  possibilidade de sabores marcantes nos drinques.

 

3 – Os clientes têm aceitado essa experiência em seus copos?  

É satisfatório ver o reconhecimento dos clientes ao degustar um desses ingredientes em um coquetel servido –  que muitas vezes para eles traz uma lembrança de algum momento especial vivido em alguma ocasião. Um dos meus objetivos com esse  evento é exatamente mostrar toda essa diversidade dos nossos produtos que vêm do Nordeste, que temos que defender e valorizar itens tão gostosos e que possuem a cara do Brasil.

 

NOTÍCIAS DO MUNDO DA COQUETELARIA

Shot 1 – O Paladar visitou o Caledonia Whisky & Co., o primeiro bar totalmente dedicado ao uísque em São Paulo, e conta todos os detalhes dessa visita. Clique aqui para ler.

 

Shot 2 – Nessas férias, tive o prazer de participar de duas votações, duas listas para apontar melhores bares e drinques. Elas foram realizadas por dois sites especializados no universo da coquetelaria, o Mixology News  e o Difford’s Guide.

No Mixology News, os resultados podem ser encontrados aqui.

Já a lista de coquetéis do Difford’s Guide está aqui.

Shot 3 – No próximo dia 20 de janeiro, o Bartender Zulu será o convidado do Mixto Gastrobar para uma noite de coquetéis. O Mixto fica na Alameda Santos, 484, Jardins.

View this post on Instagram

SEXTA DEDICADA A MOLHAR A PALAVRA 🤷🏾‍♂️. Vou deixar uma dica de cachaça de qualidade para vcs se deliciarem: Sebastiana Duas Barricas, @cachaca_sebastiana envelhecida por dois anos em barril de segundo uso de carvalho americano e segue pra mais dois anos em barris de castanheira, de primeiro uso. Foi premiada em San Francisco com o Ouro Duplo e "Best in Show" em 2018. Ano passado ficou com a medalha de ouro na Unesp de Bauru e também Ouro em Londres no IWSC. Esse ano está entre as 250 que vão pra cúpula e inscrita em San Francisco e Londres novamente. Já provou? De sua opinião 😉 Saúde! . . . #apaixonado #inlove #muchlove #zulubartender #zulunation #coisadepreto #preto #brasilidade #brasil #molhandoapalavra #bartender #bartenderlifestyle #mixologyguide #guide #dacanaaocopo #sebastiana #cachacasebastiana #cachaça #cachaca #saopaulo #ribeiraopreto @p2wfotoevideo – @patricia_aart

A post shared by Zulu (@zulubartender) on

 

Shot 4 – O bartender Douglas Peres não está mais no Tan Tan Noodle Bar. Na casa, Peres realizou uma das melhores cartas de coquetel da cidade.

View this post on Instagram

TBT

A post shared by Douglas Peres (@douglasperess) on

 

Shot 5 –  Ano novo, bar novo. No Rio de Janeiro, o Liz Cocktail & Co., do Tai Barbin e Anderson Santos – com José Ronaldo -, já chegou fazendo sucesso. Segundo amigos cariocas, as noites e os coquetéis estão excelentes por lá. Já tá na minha lista de desejos. O Liz fica na Rua Dias Ferreira, 679, Leblon.

Shot 6 – O uísque escocês Singleton Dufftown acaba de chegar ao mercado brasileiro. A bebida equilibra notas frutadas e aromas de cereja com toques adocicados e encorpados. O preço sugerido é de R$ 169 e o produto já está disponível para venda no TheBar.com.br .

Ficou com água na boca?