Paladar

Bares que têm a cara e a alma de São Paulo

Balcão do Giba

Drinques para fazer em casa

Bares que têm a cara e a alma de São Paulo

Roteiro etílico lista endereços que guardam parte da essência da cidade em seus balcões, porções e copos

23 de janeiro de 2020 | 08h00 por Gilberto Amendola

São Paulo tem o privilégio de abrigar bares icônicos, lugares que são marcos dentro da história da própria cidade.

Sem fazer muito esforço, cantarolamos a esquina do Bar Brahma (São João x Ipiranga), lembramos dos frequentadores famosos do Riviera (Av. Paulista, 2.584) ou do ressuscitado Paribar (Pça. Dom José Gaspar).

Balcão do Bar do Cofre. FOTO: Carol Gherardi/Flair Coletivo

 

O apetite da cidade também vai procurar a coxinha do Frangó (Lgo. da Matriz de Nossa Senhora do Ó), as caipirinhas servidas no Veloso (R. Conceição Veloso, 54) ou o que sobrou da boemia no Filial (R. Fidalga, 254).

Novas histórias com a cara da cidade também estão sendo contadas no hall do Maksoud Plaza, no Frank Bar; nos subterrâneos do Teatro Municipal, no Bar dos Arcos; ou no pé do Edifício Copan, com o Fel.

Apesar de todos esses monumentos etílicos (altamente recomendáveis), resolvi destacar três que ainda não costumam frequentar esse tipo de lista, mas guardam um pouco da alma da cidade em seus balcões, porções e copos. Vamos lá:

Balcão do Espaço Zebra. FOTO: Gabriela Biló

 

Espaço Zebra

Na Bela Vista, o Zebra é um mix de galeria e bar. Primeiro, você é impactado pelas obras do artista plástico Renato Larini. Depois, descendo as escadas, você entra em um mundo de afetos e poções da bartender e jornalista Néli Pereira. No copo, uma São Paulo aberta para o Brasil, com infusões de bolso, mastruz, jurubeba e muito mais. Como a cidade deveria ser.
R. Major Diogo, 237, Bela Vista, 94833-1570 (reservas). 19h/0h (fecha 2ª a 5ª e dom.)

Casa Avós

Mais um estabelecimento cheio de memória emotiva. A cervejaria da Vila Ipojuca tem clima relax e familiar. Estilo casa da avó mesmo. É possível até ficar hospedado em um quarto em cima da cervejaria (alugando pelo Airbnb). Detalhe, o quarto tem uma torneira de chope exclusiva para os hóspedes. As lagers são deliciosas, e o preço é justo.
R. Croata, 703, Vila Ipojuca, 3672-4282. 18h/23h (sáb., 14h/0h; fecha 2ª, 3ª e dom.)

Botequim do Cesinha

Montado dentro de uma garagem, o Botequim do Cesinha tem um clima de reunião entre amigos. Rótulos de cerveja, gim e uísque não fazem feio, mas a maravilha do lugar é o sanduíche de rosbife. Tem gosto de São Paulo em cada mordida. Eu comeria esse lanche todos os dias da minha vida. Não deixe de trocar uma ideia com o Cesinha, uma das grandes figuras da noite de São Paulo.
R. Delfina, 66, Vila Madalena, 94114-1054. 15h/0h (fecha dom. e 2ª)

Tags:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?

Tendências