Paladar

Correr e beber: essa é a proposta dos atletas etílicos da Negroni Squad

Balcão do Giba

Drinques para fazer em casa

Correr e beber: essa é a proposta dos atletas etílicos da Negroni Squad

Grupo organiza corridas de rua mensais que sempre terminam com um belo copo de negroni; conheça o projeto e saiba como participar

29 de agosto de 2019 | 16h42 por Gilberto Amendola

Aposto que você nunca leu “negroni” e “corrida” na mesma frase.

Pois é, a Negroni Squad (@negronisquad) acaba de conseguir essa proeza. O grupo está organizando corridas de rua mensais que, invariavelmente, terminam em um copo de negroni.

Conversei com seus criadores – a bartender Giuliana Saporito Schiesaro, o educador físico Rodrigo Kimura, o autônomo Kelvin Koki Katuragawa e o analista de sistemas Thiago de Oliveira Shirata –  para saber mais sobre essa junção aparentemente improvável.

Criadores da Negroni Squad. FOTO: Kelvin Koki/Arquivo Pessoal 

Não é muito comum a gente ler negroni e corrida na mesma frase. Como vocês tiveram a ideia de criar a Squad?
Corrida e bebida sempre foram paixões aparentemente opostas. Como você mesmo disse, é incomum aparecerem juntos. Mas não precisa ser assim. É possível manter um estilo de vida saudável correndo, bebendo e comendo também! É isso que queremos promover com a nossa Squad.

Por que negroni e não outro coquetel?
O negroni tem o esteriótipo de ser restrito a algumas pessoas. Nossa ideia é quebrar um tabu. Mostrar para todos que qualquer um pode correr com a gente, se manter saudável e tomar o merecido drinque. Ele é um símbolo da coquetelaria clássica e simples, pois, se bem executado, apresenta em perfeito equilíbrio o doce, o amargo, o corpo e a potência alcoólica, tudo que um bom coquetel deve ter. Tudo isso, aliado à complexidade aromática proveniente do gim e do vermute, faz do negroni o nosso drinque favorito.

Como funcionam as corridas e as paradas etílicas?
Tudo começa em um dos bares participantes, que serve como ponto de encontro e base para o coquetel pós-prova. No horário marcado, o grupo parte para um treino de 5 km pelas ruas da região, seguindo um roteiro escolhido previamente. Durante o percurso há o apoio dos líderes para que ninguém se perca ou fique pra trás do grupo. No final, há um negroni esperando cada participante.

Como participar?
Normalmente, a corrida rola na última quarta-feira do mês. Ou, às vezes, no último sábado do mês, mas são exceções. Quem se interessar, basta ficar ligado no nosso Instagram, @negronisquad. Todas as informações sobre os próximos treinos como data, local, horário e o link de inscrição serão divulgado por lá.

Já tem outras datas marcadas? Quais?
Datas exatas não temos. Como já dissemos ,é só ficar ligado no Instagram, divulgaremos tudo por lá.

O treino é pago? Quanto custa?
Sim. O treino é pago e o valor será variado, dependendo da assiduidade do cliente. Ah! Estamos desenvolvendo também uma espécie de “gameficação” da experiência. Os participantes podem acumular pontos através de interações com o grupo, seja em cada treino ou pelas redes sociais, e trocar por descontos, negronis extras e outros itens que estamos pensando.

Vocês estão fechando parcerias com bares? Estão procurando?
Para o ano que vem, estamos! Nossa ideia é fazer um treino por mês. Até o final deste ano já fechamos com alguns bares. O primeiro a abraçar nossa ideia foi o Guarita Bar (dos bartenders Jean Ponce e Alice Guedes). Logo depois, outros gênios que querem mudar o mundo com a gente: Apothek Cocktails (Ale D’Agostino), Pineapple Bar (Michel Felicio), Fortunato bar (Marquinhos Felix), Espaço 13 (Stephanie Marinkovic) e, em breve, Caledonia (Maurício Porto).

Fazer exercício sem abrir mão do prazer de um coquetel. Qual o segredo pra isso? Qual é a fórmula?
Equilíbrio. O Kimura, o Kelvin e o Shirata já vivem nessa linha de “correr e beber” com cerveja. A Giuliana foi atleta de alto rendimento, com a vida veio o trabalho e, atualmente, é bartender, sem deixar a saúde para trás. Nos encontramos correndo e criamos essa brilhante ideia. O segredo? É não deixar a vida ser monótona, é fazer diferente, mostrar e incentivar todos a fazer algo incrível também. Com moderação, podemos correr, comer e beber sem deixar nada de lado!

 

Quer aprender a fazer negroni em casa?

Basta assistir ao vídeo abaixo, dos primórdios deste Blog. A receita certinha está aqui.

Tags:

Ficou com água na boca?