Paladar

Memórias familiares de um rabo de galo inesquecível

Balcão do Giba

Drinques para fazer em casa

Memórias familiares de um rabo de galo inesquecível

Bartenders e outros profissionais da coquetelaria contam sua relação com o drinque brasileiro feito de cachaça, vermute e Cynar

30 de agosto de 2019 | 18h04 por Gilberto Amendola

Eu já escrevi aqui que este blog nunca foi só sobre bebidas e coquetéis… É muito mais sobre histórias de vida e amizades que, eventualmente, foram (ou estão) molhadas por um pouco de álcool.

O Balcão do Giba aproveitou a final do III Campeonato Nacional de Rabo de Galo para conversar com bartenders e outros profissionais da área sobre memória emotiva.

Qual foi o rabo de galo mais especial da sua vida? Qual a primeira lembrança que você tem quando alguém fala deste drinque de cachaça, vermute e Cynar?

Rabo de galo do Balcão do Giba. FOTO: Bruno Nogueirão/Estadão

Muitos rememoraram os momentos vividos entre familiares – tios e avós que, em algum momento da vida, apresentaram este drinque tão brasileiro aos seus sobrinhos e netos.

Além disso, no vídeo gravado durante o concurso há depoimentos como o do bartender que conquistou a sogra e a esposa com um rabo de galo. Assista abaixo:

Quer aprender a fazer rabo de galo em casa? É bem fácil: misture 50 ml de cachaça, 25 ml de vermute tinto e 25 ml de Cynar em um copo baixo e seja feliz. A receita certinha está aqui.

 

Shake and Stir

Você já leu palavras como “corrida” e “negroni” em uma mesma frase?

A entrevista desta edição é com a Negroni Squad, grupo formado pela bartender Giuliana Saporito Schiesaro, o educador físico Rodrigo Kimura, o autônomo Kelvin Koki Katuragawa e o analista de sistemas Thiago de Oliveira Shirata. Eles estão organizando corridas de rua mensais que, invariavelmente, terminam em um copo de negroni.

“É possível manter um estilo de vida saudável correndo, bebendo e comendo também!”, garantem. Leia a entrevista completa aqui. 

 

Notícias do mundo da coquetelaria

Shot 1. Gui Ferrari, do bar Seen, foi um dos três finalistas mundiais do Chivas Master. Além de Gui, os outros dois bartenders na disputa foram Sebastian Cichowlas (Holanda) e Jiyoon Baek (Cingapura). No final, o vencedor foi o representante holandês. O Balcão do Giba entrevistou o Gui Ferrari quando ele venceu a etapa brasileira da competição, com o coquetel Arpeggio.

 

Shot 2. Setembro será o mês do bourbon. Diversos bares de São Paulo já estão preparando versões clássicas e especiais do coquetel Old Fashioned para o mês que está chegando. As casas participantes são: Banqueta, Benzina, Burle, Caju,  D.O.T, Drosophyla, Espaço 13, Fortunato, Guarita, Lateral, Mani, Modern Mamma Osteria, Mundibar, Olivio Bar, Praia Bar, Picco, Tavares, Tre Bicchieri, Sylvester Bar e Vista. A ação é uma parceria do site Difford’s  Guide Brasil e Brown-Forman.

 

Shot 3. A edição de 2019 do The World’s 50 Best Bars, lista que tem servido como referência no mundo da coquetelaria, será divulgada no dia 3 de outubro, em Londres. Embora, atualmente, não exista nenhum bar brasileiro entre os 50, três casas estão entre as 100 melhores do mundo. São elas: Guilhotina, SubAstor e Frank, todos paulistanos. O Guilhotina, comandado por Márcio Silva, foi o mais bem colocado entre os brasileiros, ficando com o 71º lugar. O SubAstor, de Fabio La Pietra, ficou com a 82ª posição. Já o Frank, comandado pelo bartender Spencer Amereno Jr., está em 86º. Leia sobre a lista de 2018 aqui. Além disso, o bar que foi escolhido como o melhor bar do mundo não existe mais. Leia aqui sobre esse inesperado fechamento aqui.

 

Shot 4. As inscrições para uma das competições mais tradicionais da coquetelaria mundial está perto do fim. Quem quiser participar do Bacardí Legacy tem até o dia 10 de setembro para se inscrever e enviar sua receita para bacardilegacy.com.br. O campeão brasileiro de 2018 foi o bartender Tom Oliveira, com o coquetel Ocho Maneras.

 

Shot 5. Outro período de inscrição que está chegando ao fim é para o Angostura Global Cocktail Challenge. Os interessados têm até amanhã (dia 31) para inscrição de receitas no site www.angosturaglobalcocktailchallenge.com . O vencedor irá participar de uma final, no dia 23 de fevereiro de 2020, em Trinidad e Tobago.

 

Shot 6. No próximo dia 2 será realizada a 1ª etapa brasileira do Marie Brizard Master, concurso que irá levar o bartender vencedor para a final mundial em Bordeaux, na França. Os profissionais que estão na disputa da etapa brasileira são: Renan Tarantino, Flavia Mattos, Ana Paula Ulrich, Stephanie Marinkovic, Andre Caveagna, Alex Sepulchro, Leandro Almeida de Oliveira, Renata Adoración e Ricardo Bassetto.

 

Shot 7. O bartender Marcelo Serrano inaugurou o bar e restaurante Venuto. Serrano é conhecido como o responsável pela criação do moscow mule com espuma (um sucesso absoluto em todo País). Para a carta do seu novo bar, Serrano está lançando o drinque Venuto, com vodca, Amaretto, abacaxi, uva, bitter e limão yuzu. Ele é servido em uma leiteira de cobre. O Venuto fica na Rua Peixoto Gomide, 1.658, Jardim Paulista.

View this post on Instagram

@venutosp

A post shared by Venuto (@venutosp) on

 

Shot 8. Por falar em moscow mule com espuma, o Mule Mule Muleria, bar especializado no drinque, já está em pleno funcionamento. Ele fica na Rua Aspicuelta, 459, na Vila Madalena.

 

Shot 9. Neste sábado (31), o bartender Gabriel Santana, do Benzina Bar, irá dar uma aula de coquetelaria no Eataly (Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 1.489, Itaim Bibi), às 16h. Ele irá ensinar a preparar receitas como o negroni, o uísque sour e o moscow mule. Ingressos e informações no foodpass.com.br.

 

Shot 10. Fabio La Pietra, do Bar do Cofre SubAstor, acaba de colocar quatro novos drinques em seu cardápio. Eles seguem a tendência mundial de drinques com pouco ou nenhum álcool. O London Highball (R$ 19) é o primeiro coquetel sem álcool do lugar e leva suco de pepino clarificado, tônica e xarope de elderflower. Com menor teor alcoólico, o CCC (R$ 36) traz café coado, cachaça e cajuína. O Cáscara Highball (R$ 37) leva tequila blanco, infusão de casca de cacau e Peychaud’s bitter. Já o Gureepu e Caju (R$ 36) tem vermute bianco, licor de nigori yuzu, mocororó, pepino e uva Itália. O Bar do Cofre SubAstor fica na rua João Brícola, 24, no Centro.

 

Shot 11. Na última quinta-feira aconteceu a final do World Bartender Championship (WBC) 2019. O evento foi realizado pelo TGI Fridays e reuniu em sua unidade Center Norte seis bartenders finalistas das unidades de São Paulo da marca. O vencedor foi Yorran Alves, que levou o troféu e se classificou para concorrer a etapa Latino-Americana, em outubro, em Lima (Peru).

 

Preciso experimentar!

Vou destacar um coquetel (pode ser de São Paulo ou de qualquer outra parte do mundo) que eu ainda não tenha provado, mas que a foto ou a descrição tenham me feito pensar: “PRECISO EXPERIMENTAR”.

A “boca seca” desta semana vai para o Peru, mais especificamente para o Carnaval Bar (68º colocado entre os melhores do mundo). Trata-se de um coquetel batizado como Matsuri. Nele vai uísque escocês, saquê, limão yuzu, umeshu, matcha e gim.  Fiquei curioso – até porque a foto não entrega muito.

Tags:

Ficou com água na boca?