Paladar

Anner Bier Libertadora: será que chega lá?

13 novembro 2009 | 21:40 por Roberto Fonseca

Ficha Anner Bier Libertadora

Nada como metáforas futebolísticas para inspirar a crônica cervejeira, ainda mais numa véspera de final de semana de rodsda do Brasileirão. A cerveja aí de cima é cria gaúcha, da Anner Bier, dos irmãos Caon, os mesmos que fizeram a Maria Degolada, sobre a qual escrevi há alguns meses. Embora o cenário atual possa sugerir que se trata de uma homenagem ao tricolor do Morumbi, é importante esclarecer que a dupla é colorado (opa), ou torcedora do Internacional de Porto Alegre.

O Libertadora, penso, veio da conquista, pelo Inter, da Copa Libertadores de 2006 e, na sequência, do Mundial Interclubes, com uma “piaba” sobre o Barcelona, então clube de Ronaldinho Gaúcho. Este ano, porém, está difícil o clube gaúcho conseguir voltar à Libertadores – mas menos difícil que para o rival Grêmio, que está mais abaixo da tabela. Por que será que não tem nenhuma cerveja homenageando o tricolor gaúcho por lá? Mistério…

Voltando à cerveja, a Libertadora é uma Imperial Red Ale, com 8% de teor alcoólico. Ok, alguém pode dizer, mas como pode ser imperial se a Baden Baden Red Ale tem 9,2% e não usa esse “cartão de visitas”? A classificação imperial é bastante usada nos Estados Unidos, para designar estilos tradicionais “turbinados”, embora a Imperial Stout, precursora do nome, surgiu, historicamente, como cerveja produzidas séculos atrás no Reino Unido, para o império russo. De fato, a Baden Baden está mais para uma barley wine, ou “vinho de cevada”, pela potência alcoólica e malte, do que para uma red ale (pobre da Dado Bier Red Ale, que, com seus 4 e poucos por cento de teor alcoólico, sempre é comparada à Baden). Num padrão “normal” de red ale, a cerveja da Anner merece, sim, o rótulo de Imperial.

Análises à parte (já que elas aparecem na ficha, lá em cima), ouso considerar que é a melhor cerveja já produzida pelos irmãos Caon, ganhando por pouco da Maria Degolada. Ainda precisa de alguns ajustes, mas tem uma boa base para se apresentar em qualquer “campo” gustativo na divisão das cervejas caseiras. Ah, e a escolha do estilo (red ale, ou ale vermelha) tem ligação direta com a cor do Inter. Mas acho que nem precisava dizer hehehehe

Ficou com água na boca?