Paladar

Goodbye, Gonzo

21 fevereiro 2011 | 23:13 por Roberto Fonseca

Foi ontem (20), mas como homenagem, sempre é tempo. Estava no final do plantão de um domingo modorrento quando li, no Twitter, o CEO da Flying Dog, Jim Caruso, lembrando que, seis anos antes. morria Hunter Thompson, “pai” do jornalismo gonzo. Para homenagear o inspirador (involuntário) de parte dos posts deste blog, corri até o Empório Alto dos Pinheiros (um dos pontos de cerveja  que sabia fechar tarde da noite) para tomar uma Flying Dog Gonzo Imperial Porter. A cerveja já havia perdido boa parte da lupulagem cítrica que chamou a atenção na primeira prova que fiz dela, em 2010. Tinha mais notas de chocolate, café, malte caramelo e álcool.

No final do copo, me dei conta de que Thompson e o Gonzo terão uma segunda morte no Brasil. A Flying Dog decidiu suspender a importação da cerveja para o País, por, nas lacônicas palavras de Caruso, “questões  de transporte e logística”. A validade das cervejas andou dando o que falar no meio cervejeiro, mas este assunto, quem sabe, esperará mais um pouco, devido à incapacidade do blogueiro de conduzir uma apuração decente.

Tags:

Ficou com água na boca?