Paladar

Melhores de 2011, parte 19: Luciano Castro

13 janeiro 2012 | 23:05 por Roberto Fonseca

Luciano Castro (Foto: Arquivo pessoal)

Veja os votos de Luciano Castro, do blog O Mestre Cervejeiro, do Rio Grande do Sul:

Melhor lager nacional
Way Amburana Lager. Uma cerveja com personalidade; o uso de madeira nacional na produção é um diferencial. Cerveja muito equilibrada, que desafia os defensores da complexidade das ales. A cervejaria Way tem idéias bastante interessantes de mercado.

Melhor ale nacional
Green Cow, American IPA. Uma cerveja lupuladíssima e muito agradável. Cervejas extremas também devem ser equilibradas e é o que Leo Sewald mostra para o consumidor. A cervejaria Seasons tem apenas um ano de mercado e mostra competência para ocupar o espaço que merece.

Melhor lager importada para o Brasil
Schiehallion. A Harviestoun escocesa era mais conhecida no Brasil pela sensacional Old Engine Oil. Nesse ano ficou mais fácil encontrar a lager da cervejaria, um acerto das importadoras e distribuidoras. Com um lúpulo diferenciado, convida sempre para mais um gole. O ratinho símbolo da cervejaria chegou e gostou do “climão” brasileiro.

Melhor ale importada para o Brasil
Gonzo Imperial Porter. Existe uma notícia de que ela não estará mais no Brasil. Espero que não seja verdade (nota do blog: a importação foi suspensa, apesar de existirem garrafas da Gonzo à venda; acho que elas não têm validade indicada, mas posso estar errado). Por enquanto fica o registro de uma cerveja complexa e instigante da Flying Dog. São 85 unidades de IBU muito bem equilibradas com os maltes. O rótulo é uma irreverência à parte em homenagem a Hunter Thompson, criador do estilo Gonzo de jornalismo.

Melhor cerveja caseira
Alessandro Ren Vienna Lager. O Alessandro é um cervejeiro caseiro experiente e não se esconde em um estilo só. Mostra que sabe “brincar” com diferentes receitas. Sempre espero sua nova criação.

Melhor cerveja de 2011 (aqui ou lá fora)
Wäls Brut. Uma das poucas cervejas no mundo feita pelo método champenoise. Acho que o conjunto da obra da Wäls, 100% brasileira, merece referência e essa cerveja ficou excelente. Parabéns pelo arrojo e competência da marca.

Novidade do ano
Camila, Camila. O Alexandre, da Bamberg, inovou em um malte nunca antes utilizado no Brasil (floor malt), e fez isso com sucesso. A qualidade do malte e o cuidado em sua preparação fazem essa cerveja única no Brasil. Uma bohemian pilsner nacional que está conquistando fãs como a banda Nenhum de Nós, homenageada no rótulo.

Melhor fato cervejeiro
O melhor fato é perceptível para os consumidores que presenciam a contínua busca pela qualidade nas cervejas nacionais e a inventividade nos novos rótulos oferecidos esse ano.

Pior fato cervejeiro
Continua sendo a dificuldade para produtores nacionais de cervejas especiais em conseguir uma representatividade para que seus interesses sejam atingidos com melhores condições de disputar mercado. Mas o caminho está sendo trilhado.

Tags:

Ficou com água na boca?