Paladar

Melhores de 2011, parte 47: Bernardo Couto

27 janeiro 2012 | 22:02 por Roberto Fonseca

Bernardo Couto (Foto: Arquivo pessoal)

Veja os votos de Bernardo Couto, do site Homini Lupulo, do Rio de Janeiro (RJ):

Melhor lager nacional
Bierland Vienna. A generosa carga de lúpulo americano foi uma grata surpresa, mostrou uma nova fase da cervejaria.

Melhor ale nacional
Wee Heavy, da Bodebrown. O ano teve ótimas novidades nacionais, como a Wäls Brut e as Way, mas a Wee Heavy me impressionou por sua complexidade. Sempre fui fã das mais lupuladas, mas o sabor maltado intenso dela me conquistou.

Melhor lager importada para o Brasil
Brooklyn Lager. A oferta por excelentes ales hoje é muito maior do que de lagers, o que para mim é ótimo. Mas esta é uma cerveja muito saborosa e leve, uma delícia. Ótima referência para os brasileiros que querem produzir lagers artesanais e fugir das batidas pilsens.

Melhor ale importada para o Brasil
Hardcore IPA, da Brewdog. Uma pancada de lúpulos extremanente equilibrados na cerveja. O aroma dela é fantástico, quase domina o ambiente.

Melhor cerveja caseira
Hi 5, a minha Black IPA caseira. Como a DUM Petroleum se torna quase hors-concours, puxo a sardinha para o meu lado, pois acredito que esta foi a melhor caseira que fiz e realmente adorei o resultado (assim como muitos, por isso a coloco aqui). O torrado com o forte aroma cítrico do lúpulo combinaram demais, foi uma enorme surpresa o resultado final.

Melhor cerveja de 2011 (aqui ou lá fora)
Dogfish Head 120 Minutes IPA. O Diego Baião (Boteco Colarinho) trouxe umas belezinhas destas dos EUA e me convidou para beber com ele. É fantástica a riqueza de aromas e sabores desta cerveja, com incríveis 20% de teor alcoólico. Ela é uma cerveja para você sentar e beber meia garrafa por mais de meia hora, curtindo aquele momento de puro deleite (quase chorei vendo mais de 70 mil litros dela indo para o ralo no programa de TV Brew Masters).

Novidade do ano
Eventos cervejeiros. Além dos já tradicionais, tivemos diversos novos eventos, apresentando diversos produtos, cervejeiros caseiros. Eventos são muito importantes para aproximar o público das cervejas artesanais e de seus produtores.

Melhor fato cervejeiro
Crescimento dos blogs e sites de cervejas. Todos os principais estão melhorando, se aprimorando esteticamente e partindo para uma fase mais profissional. Além de grandes cervejas, o Brasil, para se consolidar na rota das cervejas artesanais, precisa ter um eficiente fluxo de informações em diversas mídias. Hoje a cerveja é assunto em programas de rádio, matérias de TV e jornal na grande mídia com impressionante frequência. E precisa também ter uma mídia especializada com bom grau de conhecimento sobre cervejas, mas também com técnica jornalística e bom visual. E nisso avançamos demais em 2011.

Pior fato cervejeiro
A tão falada desunião, que já foi amplamente comentada nesta votação. Muitos querem ser donos da verdade ao invés de aceitar as diferentes opiniões sobre a mesma coisa. Ninguém está certo ou errado, cada um tem sua visão sobre as coisas, e essa pluralidade é fundamental. Há quem goste de pilsen, há quem goste de weiss, há quem só goste de cerveja extrema e muito lupulada, há quem goste de usar #cervejadeverdade no Twitter. A diferença não precisa ser motivo para discussões e acusações. Há espaço para todos. Então, vamos unir estas visões e trabalhar para a melhora e crescimento do setor, juntos?

Tags: