Paladar

Melhores de 2011, parte 9: Elvio Resende

07 janeiro 2012 | 12:42 por Roberto Fonseca

Elvio Resende (Foto: Arquivo pessoal)

Veja os votos de Elvio Resende, da loja Serra Grande/A Casa da Cerveja, de Cuiabá (MT)

Melhor lager nacional
Bierland Vienna.  É uma cerveja especial; equilibrada, lúpulo e malte se completam de uma forma harmoniosa; toque adocicado no início com final amargo e picante. Paixão no primeiro gole.

Melhor ale nacional
Bierland Strong Golden Ale. O conjunto é perfeito, desde a apresentação da cerveja (que dispensa comentários), passando pela sua espuma, aroma com notas frutadas e carameladas; na boca, a sensação adocicada equilibra-se com a boa presença de lúpulo. Ainda tem cor cobreada, que dá um toque de requinte.

Melhor lager importada para o Brasil
Pilsner Urquell. Nesta lista não poderia faltar uma pilsner, e nada melhor do que a Urquell para representar este estilo.

Melhor ale importada para o Brasil
Straffe Hendrik Quadrupel. Como a maioria das cervejas belgas, ela é complexa. No aroma, há notas frutadas e amadeiradas; na boca, ela é seca, densa, com final que lembra as old ale inglesas.

Melhor cerveja caseira
A DSC, feita pelo sr. Carlos Horbe, que produz cerveja há mais de 20 anos. Em 2011 ele fugiu um pouco de suas origens alemãs e fez uma IPA muito boa, que batizou de DSC: são as iniciais de Alemanha(Deustchland), Shalke 04 (clube do coração dele) e Carlos Horbe.

Melhor cerveja de 2011 (aqui ou lá fora)
Fullers Vintage Ale Safra 2009. Sua cor avermelhada é linda, e a combinação das notas adocicadas e amadeiradas fecha com chave de ouro esta cerveja.

Novidade do ano
A novidade do ano foi constatar o aumento significativo no número de novos consumidores, perceber que aos poucos as pessoas começam a descobrir este mundo maravilhoso das cervejas especiais e artesanais.

Melhor fato cervejeiro
A quantidade de rótulos nacionais premiados em concursos internacionais que só avalizam aquilo que nós
já sabíamos; nossas cervejas são excelentes. Há ainda o crescimento do mercado de cervejas artesanais pelo Brasil, que permite que vislumbremos novos consumidores; assim, poderemos difundir a cultura cervejeira por todo o país.

Pior fato cervejeiro
A tributação irracional que continua vigorando no Brasil e faz com que o consumidor final pague muito caro para poder degustar as suas cervejas. Há ainda o fato de o crescimento do mercado de cervejas especiais ter trazido consigo aventureiros que buscam apenas o lucro e pouco se importam em difundir a cultura cervejeira. Eles não entendem que este mercado é muito mais do que só vender cerveja. E, por último, o fato de algumas cervejarias artesanais (ainda bem que são a minoria) não entenderem que o Brasil é composto por 26 estados e o Distrito Federal, e que, mesmo não residindo no Sul-Sudeste, também amamos cervejas especiais.

Tags: