Paladar

Melhores de 2012, parte 6: Paulo Patrus e Gabriela Montandon

09 janeiro 2013 | 14:00 por Roberto Fonseca

Foto: Arquivo pessoal

Paulo Patrus e Gabriela Montandon são os Cervejeiros da Grimor, em Minas Gerais:

1) MELHOR ALE NACIONAL

Bodebrown Black Rye IPA e Seasons Bigfoot, ambas pela proposta da cerveja e pela bela execução.

2) MELHOR LAGER NACIONAL

American Pilsen, da linha Extreme Beers da Backer, que consideramos de excelente custo/beneficio e tem grande disponibilidade no mercado cervejeiro mineiro. Há também a Schwarzbier da Bamberg, pela boa execução e equilíbrio.

3) MELHOR ALE IMPORTADA

Ficamos surpresos, em um teste cego, com a  belga Brugse Zot Dubbel, cerveja que chegou muito bem por nossas terras. Excelente custo/beneficio.

4) MELHOR LAGER IMPORTADA

Samuel Adams Boston Lager, de cervejaria grande e muito bem feita.

5) MELHOR CHOPE

Kashimir IPA, da Cervejaria Küd, que ainda (infelizmente) somente os mineiros tem o prazer de degustar. Excelente chope.

6) MELHOR BAR CERVEJEIRO

Brewpub da Mistura Clássica em Volta Redonda (RJ), onde pode-se degustar todas as cervejas on tap dentro da própria fabrica.

7) MELHOR CERVEJA CASEIRA

Doppelbocks do Eduardo Nunes (SP) e do Cristiam Nazareno (MG), ambas finalistas do VII Concurso Nacional das ACervAs, em Piracicaba (SP).

8) MELHOR CERVEJA DO ANO, AQUI OU LÁ FORA

Firestone Parabola, uma barrel aged russian imperial stout. Cerveja extremamente diferenciada, trazida pelo cervejeiro caseiro Dan Teff, do Arizona. Tivemos o prazer de degustá-la durante a confraria cervejeira do Rima dos Sabores, de Belo Horizonte.

9) RÓTULO MAIS BONITO DO ANO

Straffe Hendrik Brugse Tripel e Quadruppel, da cervejaria belga De Halve Maan. Simples e de extremo bom gosto.

10) NOVIDADE DO ANO

A união de 3 cervejarias caseiras – Vinil, Jambreiro e Grimor – na Cervejaria Inconfidentes, a primeira cervejaria cooperativada do Brasil, que torna o sonho desses cervejeiros caseiros uma realidade.

11) MELHOR FATO CERVEJEIRO

União dos cervejeiros da Wäls com os caseiros da Dum para produção conjunta da Wäls Petroleum que, além de ser um excelente rótulo, foi símbolo da união entre os dois segmentos.

12) PIOR FATO CERVEJEIRO

O término dos dias, que já eram contados, das cervejas caseiras em eventos públicos.

Tags: