Paladar

Melhores de 2012, parte 71: cervejeiros da DUM

31 janeiro 2013 | 09:00 por Roberto Fonseca

Foto:Guilherme Gluck

Júlio Moutinho, Luiz Felipe Araújo e Murilo Foltran, cervejeiros da DUM, de Curitiba (PR):

1) MELHOR ALE NACIONAL

Bodebrown Perigosa. Tomá-la direto do tanque é um privilégio tremendo.

2) MELHOR LAGER NACIONAL

Way Amburana Lager. A cerveja, que já era boa, evoluiu muito desde as primeiras versões.

3) MELHOR ALE IMPORTADA

Brooklyn Sorachi Ace, muito refrescante e sempre no mesmo padrão.

4) MELHOR LAGER IMPORTADA

Paulaner Salvator. Um clássico, fácil de achar e sempre está ali pronta para te salvar.

5) MELHOR CHOPE

Way APA. Foi o chope que mais nos acompanhou em 2012.

6) MELHOR BAR CERVEJEIRO

Empório Alto dos Pinheiros. O número de torneiras e a proposta do bar são incríveis. Mas também não podemos deixar de citar o crescente número de bares com variedade de torneiras e com a preocupação de ter uma câmara fria. Os destaques de Curitiba são os dois bares da Rua Mateus Leme, o já tradicional Cervejaria da Vila e o Hop’n Roll, ambos com 12 torneiras.

7) MELHOR CERVEJA CASEIRA

Smedgard Minas de Ferro, do Daniel Gontijo Draghenvaard. Apesar de o Paulo Schiaveto ressaltar que não é cerveja porque não leva lúpulo, votamos nessa, pois o resgate da técnica utilizada nos deixou impressionados com o resultado.

8) MELHOR CERVEJA DO ANO, AQUI OU LÁ FORA

Mokah, da Southern Tier, cerveja que o Murilo trouxe de viagem. Essa é uma imperial stout de respeito, com notas que lembravam ovomaltine ou nescau, dependendo do ponto de vista.

9) RÓTULO MAIS BONITO DO ANO

Way Amburana Lager. Depois de muito tempo, ela ganhou uma garrafa e saiu da linha que a Way vinha seguindo. Acertaram em cheio; muito bonito o barril desenhado na garrafa.

10) NOVIDADE DO ANO

Wäls Petroleum. Teve muita coisa legal em 2012, mas esperamos que mais cervejarias tomem a mesma atitude que a família Wäls teve conosco. Produzir uma receita caseira em suas panelas, e incentivar que a DUM produza a DUM Petroleum onde bem entender. Ou seja, a receita continua sendo da DUM e todos os créditos da receita sempre foram dados a nós. Esperamos mais parcerias assim, cerveja boa de caseiro não falta.

11) MELHOR FATO CERVEJEIRO

A consolidação de associações de microcervejarias no Sul do País: Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná, já possuem as suas. Acreditamos que esse seja o caminho, primeiro uma união local, e uma união nacional acontecerá naturalmente. Nos dois Estados mais ao Sul, já foi conseguido um “desconto” no ICMS. Aqui no Paraná, esperamos esse desconto em breve e um diálogo com o MAPA (Ministério Agricultura, Pecuária e Abastecimento) para tornar-se um parceiro das microcervejarias.

12) PIOR FATO CERVEJEIRO

Festival Nacional da Cerveja sem caseiros. Impostos e as picuinhas no meio cervejeiro. Gente que cria perfil falso para falar mal de tudo e todos (da cerveja, da cervejaria, da mulher dos cervejeiros). Propomos que todos coloquem as pedras no chão e parem de se atacar, cresçam um pouco e deixem o ego de lado. O mundo é livre e as pessoas têm direito de fazer cerveja com peixe, se quiserem. Pensem nisso, polícia da internet! 🙂

Tags: