Paladar

Melhores de 2012, parte 86: Guenther Sehn

05 fevereiro 2013 | 09:00 por Roberto Fonseca

Foto: Arquivo pessoal

Guenther Sehn, presidente da Acerva Gaúcha, de Porto Alegre (RS):

1) MELHOR ALE NACIONAL

Green Cow IPA, da Seasons. Eu provo cervejas deste estilo quase que diariamente e sempre sinto bons aromas, bom amargor e, no geral, um certo exagero na quantidade de maltes especiais e no corpo. No entanto, quando tomo um gole da Green Cow, parece que estou provando-a pela primeira vez, tamanha é a diferença para as outras IPAs e pelo foco lupulado da receita. É o chamado efeito “soco na cara”.

2) MELHOR LAGER NACIONAL

Amburana da Way. Uma lager com 8,4%, escura, com uma seleção de maltes especiais feita no capricho e, ainda por cima, maturada com amburana. É uma cerveja interessantíssima e complexa.

3) MELHOR ALE IMPORTADA

Urthel Hop-It. Cerveja que me impressionou muito, uma grande surpresa. Tem um aroma clássico de cerveja belga e um suave aroma de lúpulo, o que não cria muita expectativa. Mas então, ao primeiro gole, começa uma explosão de amargor sensacional.

4) MELHOR LAGER IMPORTADA

Urquell, como toda a pilsen deveria ser. Mas também gostei bastante da límpida Hofbräuhaus.

5) MELHOR CHOPE

Hidden Brewpub, do Ido Décio Schneider. Pilsen Extra simplesmente fora de série.

6) MELHOR BAR CERVEJEIRO

Lagom Brewery & Pub. Um pub sem frescuras e focado na cerveja, com iluminação baixa, ótimas comidas e onde o papo interminável é sempre a receita da próxima leva de cerveja. Os donos são cervejeiros caseiros de longa data. Pra quem faz cerveja, é o bar perfeito.

7) MELHOR CERVEJA CASEIRA

North Oakland Double IPA, do Luis Balbinot. Sensacional.

8) MELHOR CERVEJA DO ANO, AQUI OU LÁ FORA

Green Cow e Amburana, empatadas. Uma ale seca que mais parece uma bomba de lúpulo e, do outro, lado uma lager forte, maltada e complexa.

9) RÓTULO MAIS BONITO DO ANO

A cara de “lado negro da força” da vaca no rótulo da Cirilo Coffee Stout, da Seasons.

10) NOVIDADE DO ANO

A discussão sobre a “regularização da cerveja caseira” e a decorrente aproximação do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) em torno desse tema. Algo de concreto ainda vai ocorrer em 2013.

11)  MELHOR FATO CERVEJEIRO

O melhor fato é que as cervejarias brasileiras, aos poucos, estão se dando conta de que é preciso ousar nas cervejas, ir além do normal, esquecer as receitas sem graça. As cervejas precisam surpreender as pessoas. Sabem quando tomamos um gole de uma cerveja e depois, ainda engolindo, olhamos para o copo balançando a cabeça em sinal positivo, fazendo reverência? As cervejas precisam causar este tipo de reação.

12) PIOR FATO CERVEJEIRO

Muita gente sem caráter envolvida com cerveja artesanal. Vejo cervejeiro caseiro com 3 levas feitas querendo vender toda sua produção e que já tem até cartão de visita apresentando-se como “Diretor Proprietário da Cervejaria”, dizendo que “não tenho controle de temperatura porque não faço lagers, só ales”. Também vejo cervejeiros mais experientes fabricando mais de 1000 litros por mês, vendendo tudo, e definitivamente não pensando em montar cervejaria e se legalizar.

Outra coisa que me impressiona é a atitude e o caráter de alguns blogueiros de cerveja (que não é este, obviamente). Alguns deles já têm atrito com tantas pessoas e cervejarias que já fica difícil vê-los em eventos, tamanha é a rejeição ao mesmo. É a crítica pelo prazer de falar mal do resto do mundo.

Tags: