Paladar

Points italianos da cerveja: alguns pensamentos

26 maio 2011 | 18:26 por Roberto Fonseca

Sim, nobres leitores. Tirei uns minutos do meu descanso italiano (tentando achar palavras que o teclado aceite em termos de acentos e etc) para fazer uma pensata sobre a cena cervejeira local. Fiz algumas visitas em Roma, a cidade eterna. Eis o ranking e pontos altos e baixos.

1) Bir & Fud: localizado na Via Benedetta, no badalado e pitoresco bairro do Trastevere (vale dar uma volta antes de aportar). Especializado em cervejas italianas.

Ponto alto: justamente esse foco mais italiano, com excelentes surpresas, como uma “tipo gueuze” produzida pela Pausa Caffè, exclusividade do local, ou a muito boa Vu-du, dunkelweizen do Birrificio Italiano, alla spina, em chope. Os supplis, ou bolinhos de arroz recheados, e as pizzas agradam bem. Os atendentes entendem das cervejas que vendem e tem boa rapidez.

Ponto baixo: existem poucas mesinhas do lado de fora, e, em pleno Trastevere, acaba se ficando em um ambiente fechado. Mas ganha o primeiro posto na lista.

2) Brasserie 4:20: localizada na Via Portuense, 82, em Porta Portese.

Ponto alto: a carta de importadas em chope e garrafa; pode-se beber desde Mikkeler, Pizzaport, Hitachino e quetais. Ainda possuem cask ales, tiradas na bomba, como uma deliciosa chestnut old ale que provei. Cozinha se mostrou mais diversa que a do Bir & Fud, com pratos como massa caccio e pepe ao molho de tripel e tiramisu com imperial stout. Atendimento muito bom e atencioso.

Ponto baixo: fica onde o Judas perdeu as botas, as meias e possivelmente a epiderme das solas. Ir “de camelo” torna-se aventura, ainda mais passando em meio a um bairro meio esquisito (mas tranquilo) e lojas de motos.  Tem um andar superior com vista bacana, mas no dia da visita guardaram as mesas. E precisam chamar os mata-mosquitos para tirar a nuvem de pernilongos das escadas.

3) Open Baladin; fica na Via degli Specchi. Visitei na abertura e voltei esta semana.

Ponto alto: A proposta de ter a maior quantidade de artesanais italianas em chope continua, mas a duras penas. A maioria das cervejas na lista vem da Birra del Borgo e da Baladin, dos donos do local, Teo Musso e Leonardo di Vincenzo. Faltam em chope nomes representativos como Birrificio Italiano, Montegioco e Panil. Mas existem boas surpresas como a Super Bitter, projeto conjunto da Baladin com a Stone. Possui ainda alguns petiscos gostosos, com croquetes sortidos.

Ponto baixo; a montanha-russa do atendimento. Foram bastante bacanas em achar uma mesa para cinco sem reserva. Mas os pedidos demoraram demais e tiveram um esquecimento.

4) Domus Birrae: loja de cervejas que fica na Via Cavour, 88.

Ponto baixo: existe um ditado segundo o qual se conhece uma pessoa pela forma como ela trata os desconhecidos. Cheguei ao local ponto antes das 11h da matina de hoje. Nem tinha colocado a cara para dentro da porta entreaberta quando o sujeito, no telefone, nem se virou para dizer em ingles: “Estamos fechados”. Pedi para olhar e ele nada disse. Ficou no telefone uns 20 minutos sem olhas para a minha cara nem quando parei na frente dele.Fui embora sem saber detalhes sobre algumas cervejas interessantes, como a Toccalmatto maturada em barris de grapa. Para quem for visitar, mande um oi ao sujeito de cavanhaque e oculos, e ainda minhas desculpas por ter me esquecido de marcar hora. Not!

Ponto alto: tem uma boa variedade de cervejas.

Ficou com água na boca?