Paladar

Wells Bombardier: derrota por nocaute técnico

08 fevereiro 2010 | 11:55 por Roberto Fonseca

Ficha Wells Bombardier

A cerveja aí de cima, que começou a ser importada pela On Trade, ganhou esse nome em homenagem ao boxeador britânico William Thomas Wells, apelidado de Bombardier Billy Wells (1889/1967). Ele foi campeão britânico (e do império britânico) de 1911 a 1919; das 52 lutas que participou, venceu 41. A Bombardier (líquida) também é considerada a cerveja representante do patrimônio histórico inglês (suponho que, com isso, bebê-la em uma visita a Stonehenge seja considerado um tipo de incursão histórica rs).

A produtora da Bombardier é uma cervejaria chamada Charles Wells, que foi fundada em 1876 em Bedford, na Inglaterra. Depois do início como cerveja familiar, a empresa cresceu, passou a produzir no território inglês marcas como a Red Stripe (da Jamaica) e a Kirin (do Japão). Em 2006, ela anunciou fusão com outra cervejaria inglesa, a Young’s, dando origem à Wells & Young’s. Graças à fusão, além da Bombardier, chega ao Brasil também a Young’s Double Chocolate Stout, tema do post seguinte.

A primeira lembrança ao provar a Bombardier foi compará-la com a Fuller’s Extra Special Bitter, que tem um pouco mais de “envergadura” (5,9% de teor alcoólico contra 5,2%), mas também leva a melhor em termos de aroma (bastante) e sabor (ligeiramente). Enfim, vence por nocaute técnico, mas não chega a ser aquela vantagem avassaladora dos bons tempos de Mike Tyson, em que as lutas acabavam antes que você pudesse se ajeitar no sofá diante da tevê. Mas, como em toda boa luta, vale analisar bem os dois lados. Vai que pinta uma zebra…

Tags:

Ficou com água na boca?