Paladar

Um café para dividir

Histórias e experiências sobre o café

Ações cafeinadas nestes novos tempos

Saiba como cafeterias e grandes indústrias estão trabalhando para mostrar uma xícara de café no fim do túnel.

24 de abril de 2020 | 16h23 por Ensei Neto

Num momento em que o mercado de café vinha experimentando uma notável expansão com um número crescente de cafeterias  especializadas em grãos de alta qualidade, tendo um batalhão de profissionais em plena capacitação para que os serviços de preparo de café se tornassem mais esmerados e diferentes utensílios sendo lançados para maior comodidade ou ampliando as possibilidades de experiências sensoriais, a invasão invisível do coronavirus simplesmente colocou um freio em tudo.
Faz lembrar a música de Raul Seixas, “O dia em que a Terra parou”. Literalmente.

O isolamento social é medida necessária e eficiente para conter o avanço furioso do covid-19, porém, os estabelecimentos comerciais que tiveram de fechar passam por dificuldades. Sobreviver é preciso, ainda mais que todos foram pegos sem qualquer preparação tal o ímpeto virótico.

Com o objetivo de promover o consumo da bebida e, assim, dar condições das pequenas cafeterias e torrefações prosseguirem em sua nobre missão de cafeinar o mundo, um grupo de trabalho foi formado sob iniciativa da jornalista Giuliana Bastos e que recebeu o nome de Grão Coletivo. Juntaram-se empresários donos de microtorrefações, cafeterias, baristas e profissionais do ramo de quase todo o Brasil com esse propósito, pois a soma de esforços torna-se fundamental para que o setor consiga superar os desafios impostos pela pandemia.
São diversas fases de atividades que o grupo vem estruturando para que todos os profissionais possam atuar e auxiliar nas diferentes tarefas.

A primeira campanha tem a hashtag #bebacafé, a partir do perfil @grão.coletivo nas redes sociais, promovendo vendas via delivery das cafeterias e torrefações participantes. Microlotes, cafés com torras frescas, quitutes, lanches rápidos e utensílios para o preparo de seu café preferido fazem parte das listas de ofertas.

A segunda fase terá como foco mostrar a importância do consumo de café em casa e como ele pode ser ainda mais relaxante e divertido. Na terceira etapa deve ser lançada uma série de vídeos com dicas para o preparo do café, sua conservação e armazenamento, higienização dos utensílios e receitas especiais.

Procure saber quais as cafeterias e torrefações participantes, apoie adquirindo produtos para que o pequeno comércio local saia fortalecido.

As grandes empresas de café também têm realizado esforços para minimizar o impacto das restrições de circulação. A suíça Nestlé/Nespresso faz parte do movimento Apoie um Restaurante  que tem ajudado financeiramente diversos empreendimentos em todo o país. Recentemente, como resultado de entendimentos com o grupo de trabalho Grão Coletivo passou a incluir as cafeterias por meio de diversas ações comerciais de incentivo ao consumo.

Outra grande empresa, a Melitta do Brasil, é apoiadora cultural do projeto de música popular brasileira A Sala é Sua, cujos shows você pode assistir no YouTube (https://youtu.be/c5SVR8TvH1k).
São artistas de renome interpretando canções inéditas e sucessos em clima intimista, bem apropriado para o momento #fiqueemcasa: Zélia Duncan, Arthur Nogueira, Paula Lima e Mahmundi são alguns dos nomes desta série.

Música de alta qualidade e um bom café formam dupla infalível para fazer nosso espírito mais leve neste período de reclusão.

 

Tags:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?

Tendências