Paladar

Um café para dividir

Histórias e experiências sobre o café

Arte na xícara

A xícara de café pode ser uma galeria de arte também!

11 de dezembro de 2020 | 13h33 por Ensei Neto

A pausa para o café é sempre um momento especial, muitas vezes para recarregar energias ou desfrutar cada detalhe de aroma e sabor da bebida. Como todo ritual, alguns elementos são fundamentais para que a experiência se torne ainda mais completa, como cozinhar ouvindo uma boa música.
Sim, uma trilha sonora escolhida a dedo pode tornar ainda mais divertido ou aconchegante o preparo e extração do café, reforçando o tom de cada aroma e sabor.

As xícaras são muito importantes para tornar ainda mais especial esse momento, uma vez que a geometria tem relação direta com a forma dos aromas ganharem o espaço, reforçando algumas notas e até fazendo resgate de uma boa lembrança. Xícaras mais podem ser mais ou menos bojudas em seu corpo, assim como de boca com abertura maior ou menor, permitindo que aromas sejam percebidos mais facilmente.
Por outro lado, as xícaras podem se tornar uma expressão artística, também, tanto em sua forma quanto na escolha de materiais.

Recentemente o venerando Museu do Café, que fica no Centro Histórico de Santos, promoveu um concurso para escolher uma xícara comemorativa como “A Xícara do Museu”. As peças vencedoras são confeccionadas em cerâmica e apresentam belo desenho.

Vale lembrar que o Museu do Café está instalado num prédio histórico, preservando muito da história com peças, livros e o próprio espaço, que abriga, ainda, uma cafeteria muito visitada pelos turistas.

Xícara do Museu. Foto: Divulgação

Transformar uma xícara numa galeria de arte foi também estratégia que a italiana illy caffè adotou desde 1992, com lançamentos anuais de coleções e peças decoradas por artistas renomados e personalidade, entre elas o diretor Francis Ford Coppola, David Byrne e Federico Fellini.

Conjunto illy. Foto: divulgação.

Esta coleção, por exemplo, está disponível no Brasil em sua loja física e virtual.

Peças confeccionadas em cerâmica de alto forno são únicas, sendo que, para a ceramista, o momento de abrir o forno é sempre cercado de grande expectativa para saber o resultado da reação do material empregado como pigmento com o calor acima dos 1.200ºC.
Hideko Honma, prestigiada ceramista, apresenta peças de bela execução e baseadas na estética minimalista japonesa. Todas estão disponíveis em seu atelier, em São Paulo.

Hideko Honma. Foto: Divulgação

A ceramista Gisele Gandolfi, da Muriqui, festejada pelo seu estilo orgânico e peças ousadas, apresenta, além de suas travessas e as famosas marmitas, a xícara Ayumi, de elegante desenho.

Ayumi, Cerâmica Muriqui. Foto: Divulgação.

Com essas peças, o seu momento do café ficará ainda mais saboroso e cheio de histórias para contar.

Serviço:

Museu do Café: Rua Quinze de Novembro, 95, Centro, Santos.
Telefone: (13)3213-1750. www.museudocafe.org.br

illy caffè: Rua Oscar Freire, 720, 1º andar, Sala 10, São Paulo.
Telefone: (11)3062-1279. www.illy.com

Hideko Honma: Avenida Jacutinga, 434, São Paulo.
Telefone: (11)5042.4450. www.hidekohonma.com.br

Muriqui Cerâmica: Rua Fradique Coutinho, 995B, São Paulo.
Telefone: (11)3875-2926. www.muriquiceramica.com.br

Tags:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?