Paladar

Bebidas frias e turbinadas de café

Um café para dividir

Histórias e experiências sobre o café

Bebidas frias e turbinadas de café

Imagine um café parecido com um bom chope escuro...

18 janeiro 2018 | 12:28 por Ensei Neto

O mercado japonês costuma trabalhar com produtos que representem as estações do ano. Por exemplo, a primavera é muito festejada com a florada das cerejeiras, que forma um impressionante mosaico ao ar livre. De tão importante é esta data que existe um monitoramento por instituições para verificar se a florada ocorrerá em seu tempo correto!

No caso do café, uma das bebidas mais populares durante o quente e abafado verão, principalmente entre Tokyo e Kyoto, é o café gelado ou iced coffee, que é um café filtrado mais concentrado, quase como o nosso cafezinho, para ter adição de cubos de gelo.

No início dos anos 2000, algumas cafeterias do noroeste dos Estados Unidos começaram a fazer testes com um novo produto, que viria a ser um dos mais queridinhos como bebida refrescante: o cold brew. Uma das primeiras experiências foi a da Stumptown, de Portland, que sempre teve um viés ousado devido ao espírito surfista de um de seus fundadores, Dwane Sorensen.

Nitro café. FOTO: Ensei Neto/Arquivo Pessoal

O cold brew é uma extração de café a frio, que pode ser feita por dois sistemas: um com o pó de café mergulhado em água e, o outro, por com água fria passando lentamente por um longo recipiente.

Quanto maior é a temperatura da água para o preparo da bebida, tanto menor é o tempo de extração, pois o processo é mais eficiente. À medida que a temperatura é menor, exige-se maior tempo para o contato e, portanto, extração entre a água e o pó.

Como resultado, em geral, a bebida é suave e adocicada, com menor quantidade de cafeína, além de acidez mais sutil. Hoje é um produto bastante comum, sendo que muitas cafeterias e torrefações mantém o cold brew em linha.

A partir daí, como passo seguinte, surgiu o nitro café, que lembra um chope. O nitro nada mais é do que o café frio pressurizado e servido com um belo colarinho que pode ser dosado na torneira de uma chopeira. O nitrogênio a alta pressão arrasta algumas substâncias do café para a superfície, criando um rico e consistente creme.

Como bebida para os dias quentes, é perfeita!

O primeiro nitro brasileiro foi lançado pelas mãos do Ton Rodrigues, do True Coffee Brasil, em 2015 durante o Jamboree Brasil Café, em São Paulo. Hoje, algumas cafeterias passaram a incluir o nitro café em seu cardápio e a evolução foi muito grande.

Certamente um dos que vale experimentar em São Paulo é do Suplicy em sua nova loja flagship. Encorpado e equilibrado, surpreende pela sua excelente textura, lembrando um chope escuro.

Abraços cafeinados!

Tags:

Ficou com água na boca?