Paladar

Um café para dividir

Histórias e experiências sobre o café

Coisas do Brasil

Conheça as invenções brasileiras para preparar o seu café favorito.

08 de janeiro de 2021 | 11h48 por Ensei Neto

O Brasil é o maior produtor mundial de café e o segundo maior mercado consumidor, perdendo por pequena margem para os Estados Unidos. É tão forte essa ligação com o café, que ele é considerado o produto mais emblemático do nosso país.
Com um consumo que beira as 20 milhões de sacas de 60 kg (algo como 1,2 milhões de toneladas de café cru), você pode encontrar todos os padrões de qualidade de café, desde o de preço mais competitivo (e, portanto, de qualidade mais baixa) até os muito raros e caros. Ou seja, existe café para todos os gostos e bolsos.

A presença do covid19 no dia a dia criou ambiente para  as pessoas testarem diferentes cafés, principalmente durante o período inicial de quarentena. Para se ter idéia, conheci histórias de descobertas e também de quem chegou a experimentar mais de 30 cafés diferentes em um mês!
Da mesma forma, conhecer e preparar café em diferentes sistemas e métodos acabou se tornando uma outra atividade para os novos café maníacos de plantão. Há tempos têm surgido novos sistemas de preparo de café como resultado de idéias criativas de empreendedores brasileiros.

Recentemente, o publicitário Ed Glavlak, conhecido pelo seu perfil @cafeinacao no Instagram, organizou em São Paulo, no laboratório do Sindicafé SP, um workshop com os sistemas de preparo de café criados no Brasil. Para surpresa geral, quase uma dezena de utensílios foi apresentada e serviu para se fazer um interessante comparativo entre os sistemas.

Métodos brasileiros de preparo de café. Foto: Ed Glavlak

Aproveito esse embalo e apresento algumas dessas invenções brasileiras para quem quiser conhecer.

A Woodskull é uma marcenaria de Curitiba e tem forte ligação com o café, o que inspirou a criação de dois porta filtros em madeira: o Astér, que tem um belo desenho vazado e o suporte de café Woodskull, trabalhado num bloco de madeira. Em função do tipo de madeira, há discreta transferência de notas de aroma e sabor para o café durante a extração.
Opcionalmente, pode-se adquirir um suporte metálico para ambos os portafiltros.
Serviço: www.woodskull.com.br, com loja física em São Paulo, à rua Mateus Grou, 252, Pinheiros.

Coador Astér. Foto: Ed Glavlak.

A próxima peça é um portafiltro em cerâmica da En Torno, de Curitiba, da designer e ceramista Julie Inada, que também é uma apaixonada por café.
O porta filtro En Torno pode vir com um jarro e você pode escolher entre os diferentes modelos de canecas, as divertidas Bigode.
Serviço: wwww.entornoceramica.com.br

Portafiltro En Torno. Foto: Ed Glavlak.

O coador Z é criação do arquiteto Tony Chen, que nasceu em Taiwan e veio para o Brasil ainda adolescente. Aprendeu a gostar de café já adulto ao beber um inesquecível café lattè.
Depois dessa experiência, resolveu se tornar barista e, também, desenvolver um coador com sua assinatura, lançado por meio de uma campanha de arrecadação de fundos.
Confeccionado em cerâmica, pode ser adquirido diretamente com o Tony.
Serviço: Coador Z, Tony Chen, chenchiachun@gmail.com.

Coador Z. Foto: Ed Glavlak.

Koar é um portafiltro que é obra do espírito incansavelmente inventivo de Fernando de Sá, do Recibe, PE. Sua primeira versão foi em cerâmica, que ganhou o mercado devido aos belos efeitos de cor em cada fornada, além de um trabalho de educação do consumidor que chegou à organização de um campeonato próprio, a Copa Koar, com muito boa repercussão no mercado.
A segunda geração é confeccionada em acrílico e, com isso, se seguiu a constituição de uma família de produtos, incluindo-se os filtros de papel.
Hoje, além de uma distribuição nacional, Fernando tem planos de chegar ao mercado internacional neste ano.
Serviço: Koar, www.koar.com.br .

Portafiltro Koar. Foto: Filipe Ramos.

Uma das peças mais geniais dentre as criações brasileiras para o preparo de café, sem dúvida é a cafeteira Aram, do Maycon Passos, que tem corpo em aço inox e madeira na parte externa. Contando com um minimalista design cilíndrico e acionado pelo giro de uma manivela, garantem-se 14 bars de pressão para se obter um espresso de até 60 ml.
Hoje está presente em cafeterias de vários países.
É do Maycon também o projeto do ousado portafiltro Arame, de corpo em aço inox, e pronto para receber filtro de papel em formato cônico como o da Hario V60.
E na loja virtual da Aram, você encontra outros utensílios para incrementar sua experiência com esses produtos.
Serviço: www.br.aram.coffee

Cafeteira Aram. Foto: Ensei Neto/Arquivo Pessoal.

Das invenções brasileiras para preparar café, outro destaque é a Pressca, que é uma cafeteira que combina funções como infusor, similar a uma prensa francesa, por exemplo, e de um recipiente térmico, para você consumir o café.
Feita de materiais de engenharia, é um produto resistente aos impactos, além de manter a temperatura da bebida estável por um bom período, sendo muito prática em viagens ou para consumir o café durante o trabalho.
Vem ganhando espaço internacional, contando com representantes em diversos países.
Serviço: Pressca, www.naxos.net.br

Pressca. Foto: Divulgação.

 

 

Tags:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?

Tendências