Paladar

Conversando a gente se entende…

Um café para dividir

Histórias e experiências sobre o café

Conversando a gente se entende…

Combinar comida ou bebida com café é sempre um jogo muito divertido

21 fevereiro 2018 | 14:44 por Ensei Neto

Tenho certeza de que você já comeu pão de queijo, daqueles feitos com um belo queijo curado, acompanhado de café. Dá impressão de que foram feitos um para o outro, não é mesmo? É uma clássica combinação e como toda, tem que ter, digamos, uma “química perfeita”.

Quando se fala em química perfeita, até entre duas pessoas, é porque os pontos em comum são tantos que permite um excelente diálogo, enquanto que, por outro lado, as diferenças fazem com que as partes se complementem como num peças de um quebra cabeças.

O café é uma bebida que, basicamente, tem três sabores mais importantes: o doce, o ácido e o amargo, que são representados, respectivamente, pelos açúcares, ácido cítrico, que é encontrado na laranja, e a família da cafeína. Num café que tem uma bebida completa, esses três gostos estão presentes.

A partir desse trio, podemos fazer exercícios de como seriam algumas boas combinações. Para isso, prepare um café filtrado, que recomendo que seja nesta proporção: 70 gramas para 1 litro de água ou o equivalente a 3 colheres de sopa cheias de café em pó para 1 litro de água. Para que o exercício funcione bem, é necessário que seja usado um café de muito boa qualidade, sem adstringências de preferência.

Comecemos pelo queijo, que considero um dos grandes companheiros do café! O queijo da Serra da Canastra, por exemplo, tem como característica um leve sabor azedo, muito típico de um iogurte ou coalhada, além do salgado, do adocicado da lactose e da presença da gordura que se concentrou.

Café com boa acidez faz um belo par com o sabor de manteiga ou da nata. Tudo que lembra gordura ou azeite dá sensação de untuosidade, enquanto a acidez cítrica do café, que é do tipo “nervosa”, é ótima para essa combinação. Este é um exemplo de harmonização por contraste ou complementação, quando juntar as diferenças leva ao equilíbrio.

FOTO: Ensei Neto/Arquivo Pessoal

Outra interessante experiência é experimentar duas bebidas ou uma bebida e um alimento que apresentem um mesmo sabor, sendo apenas a intensidade a diferença. Neste tipo de harmonização, conhecida como “por similaridade”, ressalta os outros sabores que não os que existem em comum.
Faça, agora, um exercício com um excelente café, que é naturalmente adocicado, e um pudim de leite com calda de caramelo. Posso dizer que a combinação é matadora!

O pudim tem mais intensidade no sabor doce e da textura do leite. Ao beber o café, um toque de chocolate pode surgir, que é o que sobressai em relação aos sabores do pudim.

Experimente outras combinações.

Comente conosco.

Abraços cafeinados!

Tags:

Ficou com água na boca?