Paladar

Um café para dividir

Histórias e experiências sobre o café

Happy Hour para comemorar o Dia Nacional do Café

Sugestões de coqueteis com café para comemorar o Dia Nacional do Café

24 de maio de 2022 | 10h58 por Ensei Neto

Hoje, dia 24 de maio, é o Dia Nacional do Café do Brasil, adotado para comemorar o início da colheita de café.
O café tem ciclo anual, que respeita o ritmo das 4 estações do ano: a florada, que marca o início da nova safra, ocorre em setembro, na Primavera, tendo o desenvolvimento dos frutos durante o Verão, até ficar amadurecido, ao final do Outono.
Colher os frutos maduros é o segredo da qualidade da bebida, muito parecido com a produção de vinhos, cujas uvas mais maduras permitem chegar a bebidas excepcionais.

Em São Paulo encontra-se o maior cafezal urbano do mundo, na área pertencente ao Instituto Biológico, que fica à Avenida Conselheiro Rodrigues Alves, 1252, Vila Mariana, tendo visitação aberta ao público em geral, bastando se informar dos horários disponíveis em seu site. Há anos o evento que marca a abertura da nova safra é comemorado no cafezal do instituto, quando as pessoas têm oportunidade de fazer uma colheita de café.

Para comemorar o Dia Nacional do Café, faço algumas sugestões de lugares que preparam excelentes coquetéis com café, ideal para o happy hour. Afinal, a nova safra do país que é o maior produtor mundial e que tem uma variedade enorme de origens, do Paraná ao Ceará, merece ser comemorada!

O Guilhotina é hoje um dos mais celebrados bares do Brasil, fazenda parte de listas como um dos 50 melhores ao redor do mundo. Seu premiado bartender, Spencer Amereno, criou o Hotel Martini, coquetel que leva vodka, licor merlet C2, falernum de amendoim, grãos de café infusionados em vodka e creme de cumaru para finalização. Com todos esses predicados, é um bar para se visitar obrigatoriamente.

Hotel Martini, Guilhotina Bar. Foto: Divulgação

 

O Red Coffee Brasil, misto de cafeteria e bar, tem no coquetel que leva o nome da casa, Red Hat, sua indicação para um happy hour cafeinado. Em seu preparo há uma composição com bourbon, cointreau, xarope de chá de maçã, vermute seco e uma dose do espresso da casa.

Red Hat Coquetel, Red Hat. Foto: Divulgação.

 

O Bottega 21 é um que se identifica com o estilo italiano no seu serviço.
No bar, o bartender MichelFe sugere para um happy hour cafeinado o coquetel Mezcalito, elaborado com tequila, scotch, licor de café, amaretto, campari e perfume de uisque defumado.

Mezcalito, Bottega 21. Foto: Divulgação.

 

O bartender Christopher Carijó, no comando do balcão do Preto Cozinha, tem histórico como barista e uma longa paixão pela cachaça. Sua criação Rabo de Galo Carijó é uma interessante releitura do Rabo de Galo. Sua receita leva cachaça envelhecida em carvalho para a infusão com café, cynar, carpano clássico e um twist de laranja para decoração.
Pedida certeira para o happy hour.

Rabo de Galo Carijó, Preto Cozinha. Foto: Divulgação.

Tags:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?

Mais lidas