Paladar

O café natural

Um café para dividir

Histórias e experiências sobre o café

O café natural

Entenda quais são as diferenças entre o café Natural e o Cereja Descascada

15 novembro 2017 | 15:40 por Ensei Neto

Certamente você já passou por esta experiência ao freqüentar uma cafeteria: na seleção de cafés da casa, existe uma opção de um café produzido em uma fazenda de determinada região e que é Natural, enquanto que a outra opção é de um café Descascado.

E vem, então, a clássica pergunta: “Quais as diferenças entre eles?”

Recordemos o significado de “Natural” e “Cereja Descascada”, que são métodos de preparo de secagem das frutas do cafeeiro. O primeiro é aquele em que a fruta é colhida preferencialmente madura, no ponto chamado de cereja, e que é secada com a casca externa, tal qual uma uva passa ou uma ameixa seca. Já a Cereja Descascada recebe esse nome porque essa mesma fruta, que deve ter sido colhida madura, tem sua casca externa retirada para se fazer a secagem das sementes.

O processo Natural é o mais empregado no mundo e é a forma mais antiga para secagem da fruta do cafeeiro. A casca externa da fruta funciona como uma capa protetora, de maneira que a secagem é mais lenta, mantendo intacta a polpa que fica entre essa casca e as sementes. Se houver condições adequadas, podem ocorrer fermentações nessa polpa, que são responsáveis pela formação de notas de aroma como floral e até de fruta como banana madura, valorizando a bebida.

Há uma lenda rural que reza que o açúcar da polpa migra para o interior da semente, numa tentativa de explicar o porque o café produzido pelo método Natural é mais adocicado. Ledo engano.
Ainda bem que é tão simplesmente uma lenda, pois esse tipo de fenômeno pela visão científica jamais poderia acontecer. O fato é que se a colheita da fruta aconteceu quando esta estava madura, sem dúvida sua semente produzirá uma excelente bebida.

Foto: Ensei Neto/Arquivo Pessoal

O processo da Cereja Descascada surgiu como alternativa para uma secagem mais rápida e o uso de menor área de terreiros, uma vez que a retirada da casca externa diminui o volume da fruta praticamente pela metade. Sem a casca externa, o processo de desidratação é muito mais rápido. Baseado num processo para produção de sementes para mudas, se tornou excelente alternativa para produtores cujas lavouras ficam em áreas de montanha, onde a umidade do ar é muito alta também durante o período de colheita.

Comparativamente, a bebida do Cereja Descascada, desde que de um mesmo lote original, é discretamente menos encorpada que o do Natural, porém nada dramático. O que importa é o cuidado que o produtor teve durante a secagem.

Ambos os processo produzem excelentes bebidas, desde que as frutas tenham sido colhidas maduras.

Uma boa comparação da fruta do café é com a jabuticaba.
Se você é especialista em comer jabuticaba colhida diretamente do pé, não vai errar se escolher frutas do cafeeiro para experimentar. As melhores de se chupar são as maduras, as pretinhas no caso das jabuticabas, ou as de coloração dourada ou vermelho escuro, para o café. A polpa é deliciosamente doce!

Muito simples, não? Por isso, basta confiar em seus sentidos.

Se a doçura foi percebida, certamente a bebida será muito boa também!

Abraços cafeinados!

Tags: