Paladar

Todos os métodos de fazer café são bons

Um café para dividir

Histórias e experiências sobre o café

Todos os métodos de fazer café são bons

O que define a qualidade da bebida em cada método é o uso da moagem correta das sementes de café

26 outubro 2018 | 15:25 por Ensei Neto

Preparar café é sempre um ritual que congrega pessoas ou, quando só, que permite um momento de relaxamento. Seja numa cafeteria, em casa ou no escritório, o tempo entre começar a preparar o café e apreciar a bebida é um ritual que também estimula os nossos sentidos e o senso de observação.

Tenha em mente que o preparo do café se baseia em dois importantes pilares: o café torrado e a água.

comentei num post anterior que a água corresponde a cerca de 98% da bebida, sendo, portanto, fundamental escolher uma que seja equilibrada.

Sobre a semente, a sua qualidade é determinada inicialmente pelo momento de sua colheita, lembrando que deve ser sempre com a fruta madura, seguida de uma cuidadosa secagem para, enfim, uma torra bem executada.

Feito isso, chega o grande momento: preparar a bebida, momento conhecido fora do Brasil como “extração”. Em nosso país, dizer “preparar um café” é o que basta, pois é simples e direto.

A primeira grande pergunta que ocorre é sobre a moagem. Se vier moído, como encontrado normalmente nas prateleiras de supermercado, existe uma tendência de encontrar com mais frequência cafés com moagem mais fina. Caso seu local de compra for uma cafeteria, você pode pedir uma moagem apropriada para o tipo de utensílio que possui.

Saiba que todos os métodos de extração de café são bons.

Variar o modo de preparo, desde que você tenha os utensílios, é sempre interessante, mas a verdade é que o que define o resultado da extração é a moagem das sementes torradas, que tem de ser adequada a cada uma.

Seria como utilizar uma peça de carne, por exemplo, em diferentes pratos: fatias maiores se for numa churrasqueira, em filetes para um cozido e moído para um molho bolonhesa. Todos os modos, para quem aprecia, são ótimos, pois estão adequados a cada uso.

Assim deve ser no caso do café: entre coador de pano, Kalita, Hario, Chemex ou Melitta todos são ótimos, bastando saber preparar adequadamente!

E não se preocupe em pensar que alguém lhe condenará ao fogo do inferno se você se declara fã de um tradicionalíssimo cafezinho (nossa clássica bebida brasileira!) preparada num coador de pano. Preparado com sementes de lote selecionado e torrado sem exageros, nem para mais, nem para menos, tenha certeza de que o resultado é muito bom!

Muitos jeitos de fazer café. FOTOS: Café Com Arte; Bunn; Ensei Neto/Arquivo Pessoal

Da mesma forma, um café preparado em filtro de papel e posto em garrafa térmica, desde que seja de sementes selecionadas e que a bebida não fique esquecida na garrafa – um bom tempo é de até uma hora engarrafada- , o resultado é também muito bom.

Por isso mesmo, cafeterias de ponta nos Estados Unidos, Japão e em países europeus estão apostando no serviço de café que fica em garrafas térmicas como serviço rápido em momento de grande movimento. E algumas cafeterias brasileiras já descobriram isso e estão oferecendo excelentes cafés preparados nas cafeteiras.

O que importa é o conteúdo, sempre!

Tags:

Ficou com água na boca?