Paladar

Um café para começar

Um café para dividir

Histórias e experiências sobre o café

Um café para começar

Apreciar um bom café é um sinal de amizade e companheirismo.

26 julho 2017 | 19:46 por Ensei Neto

O frio do inverno é ótimo para uma bebida quente, ainda mais se for reconfortante, bem ao jeitão de colo de mãe…

O café, apesar de seu efeito estimulante (aliás, você sabia que é o estimulante mais consumido no mundo?), pode provocar essa sensação de carinho, sim.

É por isso que legiões de pessoas que vivem em locais que têm inverno muito rigoroso acabam se apaixonando pelo café, como nos países nórdicos e no noroeste dos Estados Unidos.

Bem, lá, souberam juntar o café com rock de garagem como ninguém e ganharam o mundo!

Forte ou diluído, torra clara ou torra escura, variedade “x” ou “y”, produzido no Sul de Minas ou no Norte do Paraná… são detalhes que compõe essa bebida.

O mais importante num café é que seja fácil de beber, simples, descomplicado, que faça você sorrir espontaneamente depois do primeiro gole!

Afinal, prazer não é algo para ficar matutando…

FOTO: Ensei Neto/Acervo Pessoal

O que se observa hoje é o lançamento em ritmo frenético de diferentes apetrechos e utensílios, tanto para profissionais como quem quer preparar café em casa. Esse movimento é muito bacana porque permite que todos possam repetir boas experiências que tiveram em uma fazenda ou em uma cafeteria.

Os cafeicultores e suas histórias, as regiões produtoras, os processos de secagem, a forma de se torrar ou de servir o café fazem parte de um conjunto dinâmico que mostra como esse tema tem vigor e o poder de despertar o interesse crescente das pessoas. No momento que esse interesse se transforma em paixão, algo como “passar do olhar maroto para o abraço e etc e tal”, de querer saber mais e mais sobre esse incrível “vinho negro”, é sinal de que o caminho não tem mais volta.

Bem, vamos ter que pedir outra xícara para continuar nossa conversa, não é mesmo?

Tags: