Paladar

Um companheiro de viagem

Um café para dividir

Histórias e experiências sobre o café

Um companheiro de viagem

Saiba de algumas boas opções para preparar o seu café em uma viagem

18 outubro 2017 | 13:32 por Ensei Neto

Vai viajar?

Tudo começa com a ideia de se tirar uns dias para dar uma relaxada e vem, então, os preparativos como a escolha das roupas, tênis e chinelos para se colocar na mala.
Roteiro pronto.
Agora vai…
Daí vem uma pergunta básica: “será que é melhor levar o café?”
Por via das dúvidas, leve!

Existem novas e boas opções para você levar o seu café predileto como um companheiro de viagem, bastando ter água quente.
Praticidade e facilidade de manuseio. É disso que você precisa.

Lembra-se da tradicional cafeteira Moka?
Pois bem, a fabricante italiana Bialetti, sinônimo dessa cafeteira mundo afora, tem investido em roupagem moderna para suas peças, despertando a atenção de novos consumidores.
Seu uso continua o mesmo: água que fará a extração fica na parte inferior em contato direto com o fogo; um recipiente para acomodar o pó de café de sua escolha e, na parte superior, ficará o café pronto.

Alguns segredos para tornar o seu café mais saboroso: não use pó muito fino, a não ser que você seja um fã inveterado de cafeína. Na parte superior, deixe um fio de água, que evitará que as primeiras gotas deixem um gosto de queimado.

Foto: Ensei Neto/Arquivo Pessoal

A Pressca é um sistema desenvolvido no Brasil e que é uma combinação de conceitos como a da French Press (Prensa Francesa) e Aeropress.
De belo desenho industrial e emprego de materiais nobres, o café em pó fica no fundo do corpo principal para, então, receber a água. Você pode determinar o tempo de infusão para se obter o perfil de sabor preferido.
Em seguida, você pode mexer a solução. O óleo que fica sobrenadante, que retém alguns dos sabores não tão apreciados, pode ser retirado com um colher. Basta, agora, encaixar o embôlo e pressionar com a prensa francesa até o final.

Seu café está pronto para ser servido!

Apesar de lançado no final dos anos 1990 no Japão, só recentemente chegou ao Brasil o sistema conhecido por Drip Coffee Bag. Criado com inspiração na cultura japonesa, é similar a um origami, que é a arte de dobradura em papel. Um sache de café, cuja parte superior deve ser aperta para o preparo, tem abas de papel para, quando abertos, se apoiarem numa xícara.
A partir da quantidade de água vertida, pode-se escolher entre uma bebida mais concentrada ou mais suave.
Algumas marcas já estão no mercado, como o Café Santa Mônica, uns dos pioneiros no Brasil, o café do barista Leo Moço e o Café Jurerê. Mais empresas estão testando o sistema, de modo que em breve uma boa oferta deverá existir.

Boa viagem!

 

 

Tags:

Ficou com água na boca?