Paladar

Jô Auricchio

Ardido

12 abril 2009 | 18:32 por Estadão

Essa é uma oferenda do amigo Lucas Pretti, que em suas andanças pelo Link teve a gentileza de me trazer um chocolate muito peculiar, o Lindt de pimenta.
O potente Lindt Chili
Os puristas certamente vão querer me apedrejar, mas eu acho o chocolate amargo Lindt estranho. O cacau é forte demais, o equilíbrio de sabores fica prejudicado…

De chocolate, o doce acaba virando uma penitência, de tão intenso. E chocolate precisa ser, pelo menos na minha opinião, um pedacinho cremoso e escuro de prazer solidificado.

Ao abrir a embalagem, o cheiro potente, característico do Lindt amargo. Nenhum traço de pimenta, pelo menos no aroma.

O “creck” gostoso de ouvir ao romper a barra já anunciou, de primeira, o que me esperava. Chocolate bom craquela.

Na primeira mordida, primeiro uma doçura suave. Depois, um aroma frutado, com uma acidez gostosa, invadiu minha boca. E uns 3 segundos depois, bem sutil, a picância da pimenta dedo de moça. Não chega a queimar, pois a manteiga de cacau harmoniza tudo e arredonda o sabor.

O grande risco de tantos sabores e aromas complexos presentes no chocolate é a forma como eles “desfilam”. Se tudo vem de uma vez, o doce fica difícil de apreciar, mesmo para paladares treinados.

Felizmente, no Lindt o que veio foi um desfile coordenado e harmonioso de sabores. Genial.

É um chocolate hardcore, potente e encorpado, adequado para se saborear lentamente, um quadradinho por dia. Então, esqueça a endorfina dos momentos de fossa. O negócio aqui é uma iniciação na degustação mais aprimorada.

Apesar de difícil de encontrar, o Lindt Excellence Chili até que não custa tão caro. R$ 18, no máximo. É caro se pensarmos em chocolate varejão, mas essa aqui é uma barra cheia de personalidade, que vale o investimento.

Ficou com água na boca?