Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

24 horas depois…

18 novembro 2011 | 07:28 por Luiz Américo Camargo

O primeiro dia não foi muito emocionante. As mini (micro?) bolhas da foto, caso vocês enxerguem, surgiram por eu ter mexido nosso projeto de fermento. A propósito, façam isso: misturem com delicadeza, agora pela manhã, e mais uma ou duas vezes até o fim do dia. É importante para unir um pouco melhor a parte sólida à líquida, e também um bom pretexto para xeretar.

Sinceramente, não sei se vai dar certo – o meu, digo. Pode acontecer de falhar e, se for o caso, eu começo de novo, mas vocês seguem adiante. Ainda não dá para saber, pois o tempo quase frio não ajuda muito. É incrível mas, por mais que você tenha alguma experiência, sempre acaba ficando ansioso…

Do que estamos à espera? De sinais de fermentação. Estamos esperando a manifestação das leveduras naturais. De microorganismos presentes no ar e na própria farinha integral.

Por que o abacaxi? Segundo Peter Reinhart, porque ele é adequado ao processo: contém açúcar, acidez e tem proprietadades que controlam ação do leuconostoco, um bicho indesejável nesta etapa da criação.

Falando em abacaxi, amanhã, nas 48 horas, precisaremos de mais suco. Feito na hora, não guardado de ontem. Não queremos sumo de fruta oxidado.

E aí, como estão? Muito tédio? Então mexam, olhem, cheirem…

(Para quem quiser começar hoje, não tem problema. Basta ver o post de ontem, com os passos iniciais)