Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

À espera da conta

23 dezembro 2008 | 14:37 por Luiz Américo Camargo

“A conta, por favor”. No restaurante, mais do que a comida, talvez este seja o pedido que você gostaria de ver atendido mais prontamente. Dá para ter paciência para aguardar a entrada, para iludir a fome enquanto esperamos o prato, mas a demora para fazer o acerto final é irritante. Existe algo mais inútil do que ficar vinte minutos esperando pela conta, batendo o cartão de crédito impacientemente sobre a mesa? Não há mais nada a fazer, a dizer. Os desconfortos, os compromissos em atraso, as crianças pedindo para ir embora, tudo vem à tona.

No último domingo, no agradável e ainda novo Pobre Juan da Rua Tupi, o almoço com família e amigos havia transcorrido bem: comida decente, serviço cordial. Mas a conta não chegava e, ao nosso redor, os clientes aguardando por uma mesa se multiplicavam, bebericando cervejas e drinques – vi até uma senhora tomando uma taça de vinho branco chileno com gelo. A poucos metros, percebi que uma outra família esperava pela fatura, o mesmo gesto de escrever no ar sendo repetido pela segunda ou terceira vez. Estava ali o gargalo: alguns clientes já prontos para ir embora, mas sem poder ainda, outros loucos para sentar e atacar o couvert. Pois brigadas de cozinha têm vários integrantes, idem as de salão. Mas o profissional que fecha a conta, em geral, está sozinho. Se o sistema não anda, se a conexão com a operadora de cartões engasga, ou se o próprio encarregado entra em curto, pára tudo.

Você pode até tentar sustentar uma conversação relaxada com os comensais, fingir que está gostando de não ter pressa, mas não sossega enquanto observa os garçons que vêm e vão apenas com bandejas, pratos, copos, e nada da cadernetinha que resume quanto vale o seu programa. Nessas horas, o tempo psicológico parece pesar muito mais do que o cronológico – e não há estoicismo ou zen-budismo que aplaque esse conflito. Ainda que seja melhor do que ser enxotado do lugar.

Ficou com água na boca?