Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Até acertar

07 maio 2010 | 08:16 por Luiz Américo Camargo

A cena aconteceu na hamburgueria do Sujinho, um lanche rápido num sábado de trabalho, um dia corrido. Pedi o hambúrguer simples, o de 80 g, e uma meia-porção de batatas fritas.

O hambúrguer veio correto, ao ponto, nada tão especial, mas um espetacular custo-benefício pelos R$ 3,2o cobrados (já escrevi a respeito aqui no blog). Porém, a batata não estava boa. Crua, molenga. Avisei o garçom, que logo retirou as fritas, prometendo trazer outras.

Logo chegou uma nova porção, agora bem feita. Batata frita, enfim. E o atendente assim me falou: “Se não estiver do jeito que o senhor gosta, eu troco de novo. Até o pessoal acertar”.

Não precisou trocar, estava do agrado. Mas o curioso é que na tal porção, que custa R$ 6,50, o garçom demonstrou uma atitude que não ando vendo em muito restaurante – inclusive alguns mais pretensiosos. Não estava bem feito? Saiu errado? Azar seu, parece ser a lógica da maioria.

Uma conduta exemplar, enfim.

Ficou com água na boca?