Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Batata-doce

13 maio 2010 | 00:07 por Luiz Américo Camargo

Na capa do suplemento Agrícola, publicado ontem no Estado, estão lá umas belas batatas-doces (não viu? Tem aqui). Ainda que a produção seja pequena, o panorama tem melhorado, a atividade vai se tornando um pouco mais interessante para os agricultores etc e tal. Mas torço para que os cozinheiros (amadores e profissionais) redescubram este ingrediente, que considero delicioso. São poucos os lugares que a mantém em seus cardápios.

Quando criança, lembro de comê-las fritas, cortadas em rodelas, levemente douradas. Hoje em dia, gosto de prepará-las assadas, com sal grosso e alecrim, cortadas em canoas – uma tremenda guarnição para um assado, por exemplo. Gosto também de utilizá-las em massas recheadas (já experimentaram fazer ravioli com batata doce e castanha-do-pará em seu interior? Fica bom).

O Paladar de hoje, por sua vez, traz uma reportagem sobre o novo restaurante do chef Léo Botto, o Lorena 1989, que abre no fim do mês. No menu, estão previstos pratos com batata-doce. Será que vai virar moda? Espero que sim.

Ficou com água na boca?