Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Costumbres y cambios

17 junho 2011 | 10:09 por Luiz Américo Camargo

Poucos povos são tão loucos por comida quanto os bascos espanhois, isto é sabido. Mas uma recente reportagem do Diário Vasco apresenta alguns pontos interessantes sobre como alguns hábitos à mesa vão se transformando na região. Claro que, por trás das mudanças, está a aguda crise econômica – e uma dita “europeização” a influir em hábitos e tradições locais.

Por exemplo: durante a semana, os tupperwares com refeições caseiras andam tomando o lugar do costume de almoçar no restaurante. Outra informação: os pedidos à la carte estão se restringindo a 30% das escolhas. O público prefere os menus baratos, fixos, gastando no máximo 36 euros (no caso dos jovens, este valor fica entre 15 e 30 euros). Com um detalhe importante. Estando a Espanha em recessão, os preços dos cardápios não são reajustados há três anos.

A garotada, por sua vez, é protagonista de outra mudança de hábito. Os jovens saem cada vez mais tarde, e preferem sempre tomar “a primeira” em casa. Fica mais barato do que no balcão do bar.

Em San Sebastián e arredores, contudo, mantém-se uma certa pujança, o que permite que casas como Arzak, Mugaritz e Martín Berasategui continuem cheias (ainda que com salão majoritariamente ocupado por estrangeiros).

 Qual a análise dos especialistas locais? A crise está criando uma espécie de seleção natural entre bares (de pintxos, inclusive) e restaurantes. Sobreviverá, segundo eles, quem coordenar melhor fatores como preço, qualidade e ‘personalidade’. O texto pode ser apreciado aqui.