Paladar

E precisa de pratos novos?

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

E precisa de pratos novos?

24 outubro 2013 | 01:04 por Luiz Américo Camargo

A cena, para mim, era inédita: os sempre concorridos salões do Ton Hoi estavam vazios. Vocês, que já foram ou frequentam o lugar, já viram isso? Pois eu vi, e foi na estreia do novo horário de funcionamento do restaurante. Era o primeiro almoço de terça-feira, na primeira terça-feira de outubro.

Deu até para escolher lugares e ocupar uma das disputadas mesas redondas com prato central giratório. Mas não estou aqui para me gabar da minha sorte, e sim para falar da nova fase da casa.

Desde o início do ano, as dependências do restaurante estão mais claras, o ambiente foi sutilmente modernizado. A cozinha, à vista dos comensais, ficou mais funcional (Saul Galvão dizia que a cozinha do Ton Hoi era talvez a mais limpa que ele conhecia). O atendimento, que sempre foi cordial, parece mais caloroso – e menos idiossincrático. Por fim, o fim de semana fica restrito ao sábado, e o domingo se torna dia de descanso. E a comida? Permanece muito boa, como de hábito.

De dia. Com o salão sutilmente modernizado, Ton Hoi abre no almoço. FOTO: Robson Fernandjes/Estadão

Já fiz testes, já tentei de várias formas. Sugestões mais óbvias ou mais complexas. Por onde se queira avaliar a cozinha do chef Tommy Wong, a performance é sempre competente, não importam os ingredientes ou as técnicas culinárias. Entradas como a porção de kialza (R$ 40,20), pastéis de carne e vegetais no vapor e a de kwuo thie (R$ 40,20), a versão tostada na chapa, têm sua massa fechada na hora e são preparadas à minuta. O lombo de porco “doce e azedo” (R$ 32,20), empanado e servido com abacaxi, e o pato frito com molho de gengibre (R$ 78,20) têm sabor marcante e, ao mesmo tempo, são leves. O macarrão frito com chop suey (R$ 32,20), com camarão, carne, frango, verduras, segue trivial e cheio de frescor, variando sabores e texturas a cada mordida. O robalo (ou o peixe do dia) em fatias com molho de gengibre (R$ 43,70) mostra como um pescado pode ser expressivo sem ser desrespeitado em sua delicadeza.

No meio de tantas certezas, saí do restaurante com uma dúvida sobre as porções, que me pareceram um pouco menores. Impressão que foi mais presente na primeira visita do que na segunda. De acordo com os garçons, não houve alteração. Só, talvez, uma oscilação. Se as mudanças não foram poucas, se as instalações foram aprimoradas, era natural perguntar: e pratos novos? Quem me respondeu foi o próprio Wong, por telefone. “Não tem, não dá. É complicado mexer no nosso cardápio, tem mais de 200 coisas diferentes. Até por causa disso, sempre vai haver um prato que é novidade para alguém.”

Questionar faz parte do meu ofício e eu cumpri meu dever. Mas foi só na hora de escrever é que eu me dei conta: e o Ton Hoi, na ativa desde 1982, precisa lá de prato novo?

Por que este restaurante?
Porque eu não tinha escrito a respeito do Ton Hoi depois da longa reforma; porque o horário mudou; e, claro, porque a comida continua fresca e saborosa.

Vale?
Sem bebida, e compartilhando, gasta-se entre R$ 50 e R$ 70 por pessoa. Vale.

SERVIÇO – Ton Hoi
Av. Prof. Francisco Morato, 1.484, Butantã
Tel.: 3721-3268
Horário de funcionamento: 12h/14h30 e 19h30/22h (3ª, só almoço; fecha 2ª e dom.)
Cc.: todos
Manob.: cortesia

>> Veja a íntegra da edição do Paladar de 24/10/2013

Tags: