Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Expresso sem erros

20 maio 2009 | 09:31 por Luiz Américo Camargo

A cremosidade, a acidez, a doçura do grão, tudo em equilíbrio. Assim é um expresso bom. Tomamos dois, três, quatro, facilmente (e depois, despertos e atentos em demasia, é que nos damos conta do barato), pelo puro prazer de virar a xícara com seu líquido perfeitamente extraído. Conto isso porque fui ontem ao Latte, na Rua do Comércio, 58, e constato: não tem erro. Ali nunca tomei um Orfeu (é o que peço, mais frequentemente do que o Pessegueiro) que não tivesse sido pelo menos muito bom. Sem contar que o lugar (com exceção da atribulada hora do almoço) é um dos mais agradáveis e civilizados do Centrão. Bom produto, rigor, senso de padrão… Como essas coisas fazem diferença.

Ficou com água na boca?