Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Feijoada para quatro

25 janeiro 2009 | 22:12 por Luiz Américo Camargo

Fui ao Massimo (o próprio, na Al. Santos, 1.826) no sábado, para comer feijoada – que já foi bastante badalada, muito tempo atrás. No restaurante, com aquele salão enorme, havia apenas uma outra mesa, com três senhorinhas. Duas da tarde, e apenas quatro clientes. A feijoada? Estava gostosa, com feijão bem apurado, carne seca, língua e rabo muitos bons, ótimos paio e linguiça portuguesa, entre outras coisas. A couve, foi feita praticamente na hora. Dos grelhados, não gostei: lombo e costelinha com muito pouco gosto. O preço do bufê (R$ 78; caríssimo, apesar de haver outras feijoadas mais caras na cidade) dava direito a uma caipirinha. Perguntei qual o destilado utilizado: “É cachaça, 51, mesmo. Mas a gente faz fraquinha, se o senhor quiser”. Eu quis. Não sei o que me entristeceu mais. Se foi ver aquele restaurante amplo, com tanta história, tão vazio. Ou se foi ter morrido com oito pratas numa garrafinha de água (sem trocadilho, Prata).

Ficou com água na boca?