Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

“Garçom, o controle remoto, por favor”

05 abril 2010 | 11:03 por Luiz Américo Camargo

Já repararam como a quantidade de aparelhos de TV tem aumentado nos restaurantes? Deve ser a proximidade da Copa do Mundo. Mas não andam exagerando? E vou além: elas precisam ficar ligadas o tempo todo?

Lembrei até de um episódio antigo. Vários anos atrás, quando eu editava uma revista dirigida aos assinantes de um sistema de TV paga, uma carta – sim, dessas que vêm em envelope de papel, lembram? – bastante original, digamos, chegou à redação. (Recebíamos muitas, não apenas de leitores da revista mas também de pessoas que queriam se comunicar com os canais exibidos pelo sistema.)

O pedido do assinante era o seguinte. Ele queria que o canal de filmes, ao menos num certo horário noturno, passasse filmes dublados, e não só legendados. É que ele não conseguia jantar e ler legendas ao mesmo tempo…
Bom, tínhamos ali um exemplo de alguém que realmente gostava de comer enquanto assistia à TV – ou talvez ele gostasse de ver TV comendo, o que dá quase no mesmo. E também não vou ficar aqui com falsos pudores: quem, ao menos de vez em quando, não belisca alguma coisa vendo um filme, um seriado, um jogo ou sei lá o quê?
Mas, no restaurante, é imprescindível estar perto das telinha e telonas?

Já que falei de Copa, uma informação sobre os jogos na primeira fase. Eles acontecem às 8h, às 11h e às 15h30 (no que concerne ao Brasil, valem os dois últimos horários). Ou seja, café e almoço estão garantidos. Só faltou opção ao vivo para o jantar, o que não será necessariamente um problema: esta refeição pode ser destinada à apreciação dos melhores lances da rodada; das mesas-redondas; ou das repetições das partidas. Só não deixe, neste caso, que sirvam também comida requentada.

Brincadeiras à parte, acho que mesmo que, tanto para quem gosta como para quem não gosta, este virou mais um item importante para a informação dos frequentadores de restaurantes. É bom ligar antes e acrescentar mais uma dúvida ao tradicional rosário de perguntas: “Aceita reserva? E cartão? Cobra rolha? Tem TV?”.