Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Gastropub? Talvez um nipo-pub

03 fevereiro 2011 | 00:26 por Luiz Américo Camargo

Publicado no Paladar de 2/2/2011

O Pub Kei, o que é? Um sushi-bar, um restaurante de karê (o curry japonês), um tipo de izakaya? Não é fácil afirmar. Também não peça rótulos ou autodefinições aos proprietários, que explicarão simplesmente que “é só um lugar de comida japonesa”. Por fim, resista também à associação mais óbvia e algo na moda em São Paulo: apesar do nome, não se trata de um gastropub.

Aberto desde 1988 no Top Center, o Pub Kei mudou de piso faz um ano, depois da reforma do shopping. Virou uma espécie de porto seguro de japoneses nativos – e de ocidentais com tendências orientalizantes – da região da Av. Paulista. Eu diria até que o restaurante acabou se transformando em aglutinador de ex-clientes de casas como o A1 e o Curry House, que já não existem mais. E quem sabe até de frequentadores do próprio Miyabi, seu vizinho de andar, que perdeu um pouco da ortodoxia nipônica depois que saiu de seu ponto original, no subsolo do Top Center.

Até antes das mudanças, o Pub Kei se dedicava essencialmente aos pratos quentes, preparados pelo fundador, Kazuhiko Ozaki. Agora, a cozinha é comandada por seu filho Horácio, que passou dez anos no Japão, trouxe outras receitas e introduziu um balcão de sushis e sashimis – o que, segundo a família, “atrai mais o público brasileiro”. Uma coisa, porém, não mudou. Dona Keiko, a senhora Ozaki, permanece no salão cuidando dos clientes, principalmente no serviço do jantar.

O que se vê no cardápio proposto pelo clã é um sucinto painel da cozinha japonesa, de diversas regiões: sobá ao estilo de Okinawa, niguiris de Tóquio, cozidos de Nagasaki… Os sushis são construídos com cuidado pelo próprio Horácio Ozaki (o par de maguro sai por salgados R$ 20; no almoço, a seleção de sushi e sashimi custa R$ 45). A matéria-prima é bem escolhida, ainda que a variedade de peixes e afins não seja grande; e com atenção aos detalhes, como a qualidade do gari (o gengibre em conserva que acompanha os crus).

Mas há principalmente uma interessante seleção de pratos de múltiplos estilos (preços entre R$ 30 e R$ 40, em média). Passeando do macarrão frio às frituras, o Pub Kei se esmera particularmente no karê, muito gostoso mas talvez menos picante do que deveria, apresentado à maneira clássica. O kit inclui shiro gohan (o arroz não temperado) servido com o espesso molho de curry, vegetais e carne, mais uma porção de conservas e alguma outra proteína ao gosto do freguês – como o suculento tonkatsu, filé de porco empanado, o mais pedido pelos tradicionalistas. E capricha também nos caldos e cozidos, como o buta no kakuni, a saborosa barriga suína preparada em cocção lenta e escoltada por nabo, rigorosamente no ponto, tenro, mas sem se desmanchar.

Por outro lado, mesmo com sua ambientação modesta, o Pub Kei tem o mérito de criar uma atmosfera quase protegida da bagunça que acontece no entorno do restaurante. Sentando no balcão, na sala principal, ou mesmo no salão mais reservado, é possível esquecer por uns momentos que estamos na praça de alimentação de um shopping. Especialmente à noite, com um pouco de imaginação, dá até para fantasiar que somos apenas viajantes em busca de uma refeição japonesa.

Pub Kei
Av. Paulista, 854, piso superior, loja 69, Bela Vista, 3145-1741. 11h30/14h30 e das 18h/21h30 (fecha dom.). Cc.: todos.

Ficou com água na boca?