Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Levain 7: Crescei…

15 março 2010 | 10:36 por Luiz Américo Camargo

Neste momento, devo relatar que me encontro na fase ‘tupperware e geladeira’ da criação do levain. Engordando a cria, em suma. A foto? Hoje vamos sem, não há muitas novidades em relação à imagem de ontem (e elas não são bonitas, convenhamos).

Alimento duas vezes ao dia – e, nesse momento, deixo fora da geladeira. Refresco, espero umas duas horas (até o bicho reagir, crescer) e só aí fecho a tampa e retorno ao refrigerador.

Aquele outro levain que comecei a criar, quando achei que o primeiro não vingaria? Está indo bem, com até mais regularidade do que seu irmão mais velho. Amanhã, deve passar a habitar a geladeira também.

Nosso objetivo, agora, é tentar fazer o pão no fim de semana. Por isso, precisamos aumentar o fermento. Mas estamos, de certa forma (já que somos muitos, em cantos os mais variados do mundo), em estágios diferentes. Muita gente perdeu seu levain e começou de novo – o que é normalíssimo. Outros estão com seus exemplares ‘alive and kicking’. Alguns, por sua vez, estão num meio termo. Por isso, queria fazer um balanço geral. Podem me relatar em que ponto estão neste momento?

Há um dado novo, para quem está em SP. O tempo mudou, está mais frio e mais úmido. Por isso, é importante tenta interpretar o que diz o levain: precisa de farinha, de água?

O porquê de tentarmos o pão no sábado ou no domingo? Para dar tempo de todo mundo afinar seus ‘chefs’ (sim, é outro termo para nosso mascote, usado na boulangerie francesa). E porque é demorado: as fermentações são longas, uma jornada de várias horas.

Este é, antes de tudo, um jogo de paciência. Não desanimem, pois será extramamente satisfatório chegar ao objetivo final. Mas temos a semana para acertar os ponteiros.

E então? Contem-me.

Ficou com água na boca?